sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Levítico 11: 1-47 – SEREIS SANTOS, PORQUE EU SOU SANTO.

A ideia chave deste capítulo, para mim, está no vs. 44: “Porque eu sou o SENHOR vosso Deus; portanto vós vos santificareis, e sereis santos, porque eu sou santo...”. Quem está ensinando o que comer e o que não comer e da forma que for comer é o Senhor Santo.
Neste capítulo, entraremos na parte III que trata da impureza e o seu tratamento que vai de 11:1 até 16:34. Esta terceira parte também poderemos dividi-la didaticamente para facilitar nossos estudos e aprendizagens, em cinco outras partes:
·        Parte 1: Os animais imundos que trata todo o capítulo 11.
·        Parte 2: O parto que fala todo capítulo 12 de apenas 8 versículos.
·        Parte 3: As doenças da pele e o mofo que começam no capítulo 13 e terminam no 14. Sendo que o capítulo 13 tratará da impureza causada pelas doenças de pele e pelo mofo e o capítulo 14 tratará da purificação da contaminação causadas pelas doenças de pele e pelo mofo.
·        Parte 4: Os fluxos, todo o capítulo 15.
·        Parte 5: o Dia da Expiação: todo o capítulo 16.
Aqui Moisés seguindo o que Deus lhe falou – sempre é assim em todo pentateuco – instrui os israelitas a diferenciar os animais puros dos impuros, ou limpos e imundos, sendo que o cadáver de todos eles era considerado imundo.
O princípio da divisão dos animais não era baseado em critérios científicos ou de saúde, mas por questões teológica e princípios morais, principalmente ligados ao sangue.
Para os israelitas, Deus deixou claro que não se comesse do sangue porque o sangue é vida.
Gênesis 9:4 Carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.

Levítico 17:11 Porque a vida da carne está no sangue. Eu vô-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pela vossa alma, porquanto é o sangue que fará expiação em virtude da vida.
Levítico 17:14 Portanto, a vida de toda carne é o seu sangue; por isso, tenho dito aos filhos de Israel: não comereis o sangue de nenhuma carne, porque a vida de toda carne é o seu sangue; qualquer que o comer será eliminado.
Deuteronômio 12:23 Somente empenha-te em não comeres o sangue, pois o sangue é a vida; pelo que não comerás a vida com a carne.
Deuteronômio 19:6 para que o vingador do sangue não persiga o homicida, quando se lhe enfurecer o coração, e o alcance, por ser comprido o caminho, e lhe tire a vida, porque não é culpado de morte, pois não o aborrecia dantes.
E os animais considerados imundos eram justamente aqueles que comiam sangue ou que estavam e se alimentavam de cadáveres. Todos eles eram considerados imundos e impróprios também para os sacrifícios.
Afora isso, parece também que a classificação seguia um outro padrão como uma certa violação da ordem natural de sua locomoção, exemplo criaturas aladas que andam ao invés de voar.
O certo é que tudo isso está fortemente ligado à queda do homem.
Eles também ficavam impuros até a tarde porque os sacrifícios oferecidos ao pôr do sol restauravam a pureza de qualquer um que tivesse sido contaminado durante o dia.
Lv 11:1 E falou o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo-lhes:
                Lv 11:2 Fala aos filhos de Israel, dizendo:
                               Estes são os animais, que comereis
                                               dentre todos os animais que há sobre a terra;
                Lv 11:3 Dentre os animais, todo o que tem unhas fendidas,
                               e a fenda das unhas se divide em duas, e rumina,
                                               deles comereis.
                Lv 11:4 Destes, porém, não comereis;
                               dos que ruminam ou dos que têm unhas fendidas;
                o camelo, que rumina, mas não tem unhas fendidas;
                               esse vos será imundo;
                Lv 11:5 E o coelho, porque rumina, mas não tem as unhas fendidas;
                               esse vos será imundo;
                Lv 11:6 E a lebre, porque rumina, mas não tem as unhas fendidas;
                               essa vos será imunda.
                Lv 11:7 Também o porco, porque tem unhas fendidas,
                               e a fenda das unhas se divide em duas, mas não rumina;
                                               este vos será imundo.
                Lv 11:8 Das suas carnes não comereis,
                               nem tocareis nos seus cadáveres;
                                               estes vos serão imundos.
                Lv 11:9 De todos os animais que há nas águas, comereis os seguintes:
                               todo o que tem barbatanas e escamas, nas águas,
                                               nos mares e nos rios, esses comereis.
                               Lv 11:10 Mas todo o que não tem barbatanas, nem escamas,
                                               nos mares e nos rios, todo o réptil das águas,
                               e todo o ser vivente que há nas águas,
                                               estes serão para vós abominação.
                               Lv 11:11 Ser-vos-ão, pois, por abominação;
                                               da sua carne não comereis,
                                                               e abominareis o seu cadáver.
                Lv 11:12 Todo o que não tem barbatanas ou escamas,
                               nas águas, será para vós abominação.
                Lv 11:13 Das aves, estas abominareis;
                               não se comerão,serão abominação:
                                               a águia, e o quebrantosso, e o xofrango,
                                               Lv 11:14 E o milhano, e o abutre
                                                               segundo a sua espécie.
                               Lv 11:15 Todo o corvo segundo a sua espécie,
                               Lv 11:16 E o avestruz, e o mocho, e a gaivota,
                                               e o gavião segundo a sua espécie.
                               Lv 11:17 E o bufo, e o corvo marinho, e a coruja,
                               Lv 11:18 E a gralha, e o cisne, e o pelicano,
                               Lv 11:19 E a cegonha, a garça segundo a sua espécie,
                               e a poupa, e o morcego.
                Lv 11:20 Todo o inseto que voa, que anda sobre quatro pés,
                               será para vós uma abominação.
                Lv 11:21 Mas isto comereis de todo o inseto que voa,
                               que anda sobre quatro pés:
                                               o que tiver pernas sobre os seus pés,
                                                               para saltar com elas sobre a terra.                                Lv 11:22 Deles comereis estes:
                               a locusta segundo a sua espécie,
                               o gafanhoto devorador segundo a sua espécie,
                               o grilo segundo a sua espécie,
                               e o gafanhoto segundo a sua espécie.
                Lv 11:23 E todos os outros insetos que voam, que têm quatro pés,
                               serão para vós uma abominação.
                Lv 11:24 E por estes sereis imundos:
                               qualquer que tocar os seus cadáveres,
                                               imundo será até à tarde.
                Lv 11:25 Qualquer que levar os seus cadáveres lavará as suas vestes,
                               e será imundo até à tarde.
                Lv 11:26 Todo o animal que tem unha fendida,
                               mas a fenda não se divide em duas, e todo o que não rumina,
                                               vos será por imundo;
                               qualquer que tocar neles será imundo.
                Lv 11:27 E todo o animal que anda sobre as suas patas,
                               todo o animal que anda a quatro pés, vos será por imundo;
                qualquer que tocar nos seus cadáveres será imundo até à tarde.
                Lv 11:28 E o que levar os seus cadáveres lavará as suas vestes,
                               e será imundo até à tarde; eles vos serão por imundos.
                Lv 11:29 Estes também vos serão por imundos entre os répteis
                               que se arrastam sobre a terra;
                a doninha, e o rato, e a tartaruga segundo a sua espécie,
                Lv 11:30 E o ouriço cacheiro, e o lagarto, e a lagartixa,
                e a lesma e a toupeira.
                               Lv 11:31 Estes vos serão por imundos dentre todos os répteis;
                                               qualquer que os tocar, estando eles mortos,
                                                               será imundo até à tarde.
                Lv 11:32 E tudo aquilo sobre o que cair alguma coisa deles
                               estando eles mortos será imundo; seja vaso de madeira,
                                               ou veste, ou pele, ou saco, qualquer instrumento,
                                                               com que se faz alguma obra,
                                               será posto na água, e será imundo até à tarde;
                                                               depois será limpo.
                Lv 11:33 E todo o vaso de barro, em que cair alguma coisa deles,
                               tudo o que houver nele será imundo, e o vaso quebrareis.
                Lv 11:34 Todo o alimento que se come,
                               sobre o qual cair água de tais vasos, será imundo;
                e toda a bebida que se bebe, depositada nesses vasos, será imunda.
                Lv 11:35 E aquilo sobre o que cair alguma parte de seu corpo morto,
                               será imundo; o forno e o vaso de barro serão quebrados;                                                      imundos são: portanto vos serão por imundos.
                Lv 11:36 Porém a fonte ou cisterna, em que se recolhem águas,
                               será limpa, mas quem tocar no seu cadáver será imundo.
                Lv 11:37 E, se dos seus cadáveres cair alguma coisa
                               sobre alguma semente que se vai semear, será limpa;
                Lv 11:38 Mas se for deitada água sobre a semente,
                               e se dos seus cadáveres cair alguma coisa sobre ela,
                                               vos será por imunda.
                Lv 11:39 E se morrer algum dos animais,
                               que vos servem de mantimento,
                                               quem tocar no seu cadáver será imundo até à tarde;
                Lv 11:40 E quem comer do seu cadáver lavará as suas vestes,
                               e será imundo até à tarde; e quem levar o seu corpo morto
                                               lavará as suas vestes, e será imundo até à tarde.
                Lv 11:41 Também todo o réptil, que se arrasta sobre a terra,
                               será abominação; não se comerá.
                Lv 11:42 Tudo o que anda sobre o ventre,
                               e tudo o que anda sobre quatro pés, ou que tem muitos pés,
                                               entre todo o réptil que se arrasta sobre a terra,
                                               não comereis, porquanto são uma abominação.
                Lv 11:43 Não vos façais abomináveis,
                               por nenhum réptil que se arrasta, nem neles vos contamineis,
                                               para não serdes imundos por eles;
Lv 11:44 Porque eu sou o SENHOR vosso Deus;
                portanto vós vos santificareis, e sereis santos, porque eu sou santo;
                               e não vos contaminareis com nenhum réptil
                                               que se arrasta sobre a terra;
Lv 11:45 Porque eu sou o SENHOR, que vos fiz subir da terra do Egito,
                para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos;
                               porque eu sou santo.
Lv 11:46 Esta é a lei dos animais, e das aves, e de toda criatura vivente
                que se move nas águas, e de toda criatura que se arrasta
                               sobre a terra;
Lv 11:47 Para fazer diferença
                entre o imundo e o limpo;
                e entre animais
                               que se podem comer e os animais que não se podem comer.
Deus desejava que a nação de Israel fosse uma nação santa, isto é, separada do mundo, como exemplo e como nação sacerdotal servindo assim ao Senhor como nação de sacerdotes.
Assim a santidade era exigida da nação como também o é de nós os cristãos que são a nação santa de Israel hoje que ministramos ao mundo ao nosso redor a palavra de Deus que santifica o homem.
Sem santidade, ninguém verá o Senhor – Hb 12:14. E por falar em santidade, acho oportuno colocar aqui neste momento a breve reflexão do Blog “O Tempora, O Mores” intitulado: “O que é a santidade?[1]”:
Lamentavelmente, os escândalos ocorridos nas igrejas vêm confirmar nosso entendimento de que em muitos ambientes evangélicos, a santidade de vida, a ética e a moralidade estão completamente desconectados da vida cristã, dos cultos, dos milagres, da prosperidade em geral.
Uma análise do conceito bíblico de santidade destacaria uma série de princípios cruciais, dos quais destaco alguns aqui:
1) A santidade não tem nada a ver com usos e costumes. Ser santo não é guardar uma série de regras e normas concernentes ao vestuário e tamanho do cabelo. Não é ser contra piercing, tatuagem, filmes da Disney. Não é só ouvir música evangélica, nunca ir à praia ou ao campo de futebol. Não é viver jejuando e orando, isolado dos outros, andar de paletó e gravata. Para muitos, santidade está ligada a esse tipo de coisas. Duvido que estas coisas funcionem. Elas não mortificam a inveja, a cobiça, a ganância, os pensamentos impuros, a raiva, a incredulidade, o temor dos homens, a preguiça, a mentira. Nenhuma dessas abstinências e regras conseguem, de fato, crucificar o velho homem com seus feitos. Elas têm aparência de piedade, mas não tem poder algum contra a carne. Foi o que Paulo tentou explicar aos colossenses, muito tempo atrás: “Tais coisas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade” (Colossenses 2.23).
2) A santidade existe sem manifestações carismáticas e as manifestações carismáticas existem sem ela. Isso fica muito claro na primeira carta de Paulo aos Coríntios. Provavelmente, a igreja de Corinto foi a igreja onde os dons espirituais, especialmente línguas, profecias, curas, visões e revelações, mais se manifestaram durante o período apostólico. Todavia, não existe uma igreja onde houve uma maior falta de santidade do que aquela. Ali, os seus membros estavam divididos por questões secundárias, havia a prática da imoralidade, culto à personalidade, suspeitas, heresias e a mais completa falta de amor e pureza, até mesmo na hora da celebração da Ceia do Senhor. Eles pensavam que eram espirituais, mas Paulo os chama de carnais (1Coríntios 3.1-3). Não estou negando as manifestações espirituais. Creio que Deus é Deus. Contudo, Ele mesmo nos mostra na Bíblia que manifestações espirituais podem ocorrer até mesmo através de pessoas como Judas, que juntamente com os demais apóstolos, curou enfermos e ressuscitou mortos (Mateus 10.1-8). No dia do juízo, o Senhor Jesus irá expulsar de sua presença aqueles que praticam a iniquidade, mesmo que eles tenham expelido demônios e curado enfermos (Mateus 7.22-23).
3) A santidade implica principalmente na mortificação do pecado que habita em nós e em viver de acordo com a vontade de Deus revelada nas Escrituras. Apesar de regenerados e de possuirmos uma nova natureza, o velho homem permanece em nós e carece de ser mortificado diariamente, pelo poder do Espírito Santo. É necessário mais poder espiritual para dominar as paixões carnais do que para expelir demônios. E, a julgar pelo que estamos vendo, estamos muito longe de estar vivendo uma grande efusão do Espírito. Onde as paixões carnais se manifestam, não há santidade, mesmo que a ortodoxia doutrinária seja defendida ardorosamente, doentes sejam curados, línguas sejam faladas e demônios sejam expulsos. A Bíblia não faz conexão direta entre santidade e manifestações carismáticas e defesa da ortodoxia. Ao contrário, a Bíblia nos adverte constantemente contra a ortodoxia dos fariseus, contra os falsos profetas, Satanás e seus emissários, cujo sinal característico é a operação de sinais e prodígios, ver Mateus 24.24; Marcos 13.22; 2Tessalonicenses 2.9; Apocalipse 13.13; Apocalipse 16.14.
4) É mais difícil vencer o domínio de hábitos pecaminosos do que quebrar maldições, libertar enfermos, e receber prosperidade. O poder da ressurreição, contudo, triunfa sobre o pecado e sobre a morte. Quando “sabemos” que fomos crucificados com Cristo (Romanos 6.6), nos “consideramos” mortos para o pecado e vivos para Deus (Romanos 6.11), não permitimos que o pecado “reine” sobre nós (Romanos 6.12) e nem nos “oferecemos” a ele como escravos (Romanos 6.13), experimentamos a vitória sobre o pecado (Romanos 6.14). Aleluia!
5) A santidade é progressiva. Ela não se obtém instantaneamente, por meio de alguma intervenção sobrenatural. Deus nunca prometeu que nos santificaria inteiramente e instantaneamente. Na verdade, os apóstolos escreveram as cartas do Novo Testamento exatamente para instruir os crentes no processo de santificação. Infelizmente, influenciados pelo pensamento de João Wesley – que noutros pontos tem sido inspiração para minha vida e de muitos outros –, alguns buscam a santificação instantânea, ou a experiência do amor perfeito, esquecidos que a pureza de vida e a santidade de coração são advindas de um processo diário, progressivo e incompleto aqui nesse mundo.
6) A santificação é um processo irresistível na vida do verdadeiro salvo. Deus escolheu um povo para que fosse santo. O alvo da escolha de Deus é que sejamos santos e irrepreensíveis diante dele (Efésios 1.4). Deus nos escolheu para a salvação mediante a santificação do Espírito (2Tessalonicenses 2.13). Fomos predestinados para sermos conformes à imagem de Jesus Cristo (Romanos 8.29). Muito embora o verdadeiro crente tropece, caia, falhe miseravelmente, ele não permanecerá caído. Será levantado por força do propósito de Deus, mediante o Espírito. Sua consciência não vai deixá-lo em paz. Ele não conseguirá amar o pecado, viver no pecado, viver na prática do pecado. Ele vai fazer como o filho pródigo, “Levantar-me-ei e irei ter com o meu Pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti” (Lucas 15.18). Ninguém que vive na prática do pecado, da corrupção, da imoralidade, da impiedade, – e gosta disso – pode dizer que é salvo, filho de Deus, por mais próspero que seja financeiramente, por mais milagres que tenha realizado e por mais experiências sobrenaturais que tenha tido.
Precisamos de santidade! E como! E a começar em mim. Tenha misericórdia, ó Deus!

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.