segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Êxodo 40: 1-38 - TUDO FEITO CONFORME O SENHOR ORDENOU E MOSTROU.

Chegamos ao final de êxodos, da passagem, se bem que ainda não terminou a travessia, mas êxodo narra a saída do povo do Egito pela poderosa força do braço do Senhor e também narra, entre outras coisas, a aliança feito ao pé do monte Sinai com Moisés e com todo o povo de Israel, depois somente confirmada para os da fé e a construção do tabernáculo, símbolo da presença de Deus entre o povo, feito segundo o modelo que Deus mostrava.
Somente aqui no capítulo 40 há oito citações que semelhantes a esta foram registradas para enfatizar que tudo tinha sido feito de acordo com o modelo e nada foi feito por iniciativa de alguém. Reforço o que já disse, como bem falou o autor de Hebreus, que isso tudo era sombra e tipo do que era verdadeiro. Hb 8:5; 10:1.
Acho que este livro deveria se chamar TUDO FIZEMOS CONFORME O SENHOR NOS ORDENARA E NOS MOSTRARA. Realmente é isso que encontramos em Êxodos. Deus fazendo, Deus mostrando, Deus instruindo, Deus aparecendo, Deus se revelando, Deus fazendo alianças, Deus se aproximando, Deus conduzindo.
Agora toda a obra fora concluída e mais do que isso o tabernáculo fora levantado, conforme tudo o que o Senhor tinha falado. Tudo deu certo, nada aconteceu de errado ou houve algum imprevisto sério que impedisse a realização da grande obra.
O povo tinha uma obra sem igual na história e no mundo. Eles ainda estavam no deserto e já havia ali algo diferente os unindo e os fazendo uma grande nação. Eles não precisariam de mais nada. Era somente obedecer, crer, confiar, ter fé, amor e esperança que tudo seria realizado.
Deus mesmo aprova a obra feita ao entrar em seu lugar previsto, no Santo dos Santos e a fumaça daquela nuvem que os seguiu por 40 anos, tomou conta daquele ambiente e a glória do Senhor esteve ali no meio deles.
Era a nuvem de dia e o fogo de noite! Realmente algo fantástico jamais visto, sonhado, pensado ou imaginado por humanos. A construção do tabernáculo nem era produto de mente humana alguma, pois desceu do céu em modelo para ser copiada.
Que povo. Que nação. Que Deus. Que experiências fantásticas! Que momentos ímpares, especiais e diferentes aqueles vividos por aquele “povinho”. Reparem que tudo isso era apenas figura e sombra do verdadeiro.
Hoje somos a realização do sonho deles no passado em que o próprio Espírito Santo, enviado pelo Pai e pelo Filho, habita não mais em construções humanas, mas no seu templo, o qual somos nós que também temos a nossa nuvem e a nossa coluna de fogo, não como eles a tinham e se lhe enchiam os olhos e não o coração, mas temos ela dentro de nós, como um rios de águas vivas a fluir por meio de nós. João 7:38 Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.
A glória do Senhor enchendo o tabernáculo é o ponto culminante do livro de êxodo. Deus, que havia tirado o povo de Israel do Egito, havia renovado a sua aliança com o seu povo e feito a sua habitação no meio dele. Os vs 34-38 são um poderoso lembrete dos temas principais do livro. Essa tremenda bênção da presença de Deus foi o resultado da fidelidade às instruções divinas dadas por meio de Moisés.
O TABERNÁCULO
SEUS SIGNIFICADOS EM CRISTO JESUS
SUAS ÁREAS
SUAS PORTAS (*)
O ÁTRIO
O CAMINHO
A SALVAÇÃO
O LUGAR SANTO
A VERDADE
A SANTIFICAÇÃO
O SANTO DOS SANTOS
A VIDA
A COMUNHÃO
(*)  Compare as portas com a declaração de Jesus Cristo em Jo 14:6 - Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.
Ex 40:1 Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
Ex 40:2 No primeiro mês, no primeiro dia do mês,
levantarás o tabernáculo da tenda da congregação,
Ex 40:3 E porás nele a arca do testemunho,
e cobrirás a arca com o véu.
Ex 40:4 Depois colocarás nele a mesa, e porás em ordem
o que se deve pôr em ordem nela;
também colocarás nele o candelabro, e acenderás as suas lâmpadas. Ex 40:5 E porás o altar de ouro para o incenso
diante da arca do testemunho;
então pendurarás a cortina da porta do tabernáculo.
Ex 40:6 Porás também o altar do holocausto
diante da porta do tabernáculo da tenda da congregação.
Ex 40:7 E porás a pia entre a tenda da congregação e o altar,
e nela porás água.
Ex 40:8 Depois porás o pátio ao redor, e pendurarás a cortina
à porta do pátio.
Ex 40:9 Então tomarás o azeite da unção,
e ungirás o tabernáculo, e tudo o que há nele;
e o santificarás com todos os seus pertences,
e será santo.
Ex 40:10 Ungirás também o altar do holocausto,
e todos os seus utensílios;
e santificarás o altar; e o altar será santíssimo.
Ex 40:11 Então ungirás a pia e a sua base,
e a santificarás.
Ex 40:12 Farás também chegar a Arão e a seus filhos
à porta da tenda da congregação; e os lavarás com água.
Ex 40:13 E vestirás a Arão as vestes santas,
e o ungirás, e o santificarás,
para que me administre o sacerdócio.
Ex 40:14 Também farás chegar a seus filhos,
e lhes vestirás as túnicas, Ex 40:15 E os ungirás
como ungiste a seu pai,
para que me administrem o sacerdócio,
e a sua unção lhes será por sacerdócio perpétuo
nas suas gerações.
Ex 40:16 E Moisés fez conforme a tudo o que o SENHOR lhe ordenou,
assim o fez.
Ex 40:17 Assim, no primeiro mês, no ano segundo, ao primeiro dia do mês
foi levantado o tabernáculo.
Ex 40:18 Moisés levantou o tabernáculo, e pôs as suas bases,
e armou as suas tábuas, e colocou nele os seus varais,
e levantou as suas colunas;
Ex 40:19 E estendeu a tenda sobre o tabernáculo,
e pôs a cobertura da tenda sobre ela, em cima,
como o SENHOR ordenara a Moisés.
Ex 40:20 Tomou o testemunho, e pô-lo na arca,
e colocou os varais na arca;
e pôs o propiciatório em cima da arca.
Ex 40:21 E introduziu a arca no tabernáculo,
e pendurou o véu da cobertura,
e cobriu a arca do testemunho, como o SENHOR ordenara a Moisés.
Ex 40:22 Pôs também a mesa na tenda da congregação,
ao lado do tabernáculo, para o norte, fora do véu,
Ex 40:23 E sobre ela pôs em ordem o pão perante o SENHOR,
como o SENHOR ordenara a Moisés.
Ex 40:24 Pôs também na tenda da congregação o candelabro
na frente da mesa, ao lado do tabernáculo, para o sul,
Ex 40:25 E acendeu as lâmpadas perante o SENHOR,
como o SENHOR ordenara a Moisés.
Ex 40:26 E pôs o altar de ouro na tenda da congregação, diante do véu,
Ex 40:27 E acendeu sobre ele o incenso de especiarias aromáticas,
como o SENHOR ordenara a Moisés.
Ex 40:28 Pendurou também a cortina da porta do tabernáculo,
Ex 40:29 E pôs o altar do holocausto à porta do tabernáculo
da tenda da congregação, e sobre ele ofereceu holocausto
e oferta de alimentos,
como o SENHOR ordenara a Moisés.
Ex 40:30 Pôs também a pia entre a tenda da congregação e o altar,
e nela pôs água para lavar.
Ex 40:31 E Moisés, e Arão e seus filhos nela lavaram
as suas mãos e os seus pés.
Ex 40:32 Quando entravam na tenda da congregação,
e quando chegavam ao altar, lavavam-se,
como o SENHOR ordenara a Moisés.
Ex 40:33 Levantou também o pátio ao redor do tabernáculo e do altar,
e pendurou a cortina da porta do pátio.
Assim Moisés acabou a obra.
Ex 40:34 Então a nuvem cobriu a tenda da congregação,
e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo;
Ex 40:35 De maneira que Moisés não podia entrar
na tenda da congregação,
porquanto a nuvem permanecia sobre ela,
e a glória do SENHOR enchia o tabernáculo.
Ex 40:36 Quando, pois, a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo,
então os filhos de Israel caminhavam em todas
as suas jornadas.
Ex 40:37 Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam,
até ao dia em que ela se levantasse;
Ex 40:38 Porquanto a nuvem do SENHOR estava
de dia sobre o tabernáculo,
e o fogo estava
de noite sobre ele,
perante os olhos de toda a casa de Israel,
em todas as suas jornadas.
Deus continua a nos falar hoje por meio de sua palavra, a Bíblia...
Há autores que sugerem uma similaridade na narrativa entre Gn 1:1 – 2:3 e Ex 39:1 – 40:33 ao sugerirem que Moisés possa ter descrito esse acontecimento como o início da reestruturação do universo num lugar de habitação de Deus.
TABERNÁCULO – CENTRO DE ATIVIDADES DOS ISRAELITAS - A MORADA DE DEUS COM OS HOMENS
Nm 2:2-8 e Ap 4:5-9
O tabernáculo seria o centro de todas as atividades dos israelitas. As tribos ficariam acampadas ao redor dele assim distribuídas:
“E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.” (Ex 25:8)
O Tabernáculo – o tabernáculo foi erigido sob a liderança de Moisés, no deserto. E isso de conformidade com o modelo que lhe foi mostrado em visão, no monte Sinai. O tabernáculo era o lugar permanente da presença de Deus entre seu povo. “E o meu tabernáculo estará com els, e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo”. (Ez 37:27)
O Templo de Salomão –  O templo de Salomão estava localizado na eira de Araúna, também chamada Omã (II Cr 3:1). Essa eira ficava no Monte Moriá, o local onde Isaque quase foi sacrificado por Abraão (Gn 22:2). Foi ali que Davi instalou o altar do futuro templo de Jerusalém (II Sm 24:24-25). Interessante notar que a madeira e as pedras foram preparadas de antemão (I Rs 5:18). O comprimento total do interior do templo era de, aproximadamente, trinta metros; a largura total era de, aproximadamente, quinze metros; e o Santo dos Santos ficava num nível superior ao do Lugar Santo.
O Segundo Templo – No segundo ano do reinado de Dario I, os profetas Ageu e Zacarias despertaram Zorobabel para que renovasse as suas atividades reconstrutoras (Ed 5:1). De conformidade com o decreto de Ciro, o templo de Jerusalém deveria ser reconstruído com trinta metros de altura. O templo foi completado no sexto ano do reinado de Dario I, no mês de Adar. Tornou-se conhecido como o Segundo Templo, e continuou servindo até o ano de 20 ªC., mais ou menos. Perdurou mais de cem anos do que o primeiro templo, o templo de Salomão.
O Templo de Herodes – O trabalho de reconstrução do santuário (o Lugar Santo e o Santo dos Santos), foi iniciado no décimo oitavo ano do reinado de Herodes (20-19 ªC.). As pedras usadas eram as pedras calcárias brancas, nativas da região, cortadas com precisão e polidas. A estrutura antiga foi removida até à rocha, deixando-a nua, e foram lançados novos alicerces. O Lugar Santo  tinha vinte metros de comprimento por dez metros de largura, e trinta metros de altura. No seu interior havia um candeeiro de ouro, a mesa dos pães da proposição e o altar do incenso. O Santo dos Santos estava separado do Lugar Santo por um véu, e sua dimensões eram de dez metros em quadrado, por trinta metros de altura.

Conclusão

Que bom terminarmos algo que começamos! Que bom termos propósitos e levarmos a sério nossa missão! Que bom termos este Deus maravilhoso cuja graça é maior do que a nossa vida!
Havia um povo que Deus estava de olho e que se encontrava cativo no cativeiro do Egito e que sofria por causa disso. Quantas não são também as vidas que Deus está de olho e que se encontram no cativeiro das drogas, do álcool e de tantas outras dependências, como, por exemplo, a própria pornografia ou o sexo?
Tudo aquilo que nos contrange a fazer a sua vontade quando desejamos ser livres é escravidão e estamos no seu cativeiro, servindo a outros senhores.
Deus libertou aquele povo do Egito com sua forte mão e braço poderoso ainda zombando de todos os deuses do Egito que nada eram diante dele.
Deus levanta um líder que se encontrava no ermo desanimado com a vida e com todos os seus sonhos enterrados naquelas areias quentes e geladas do deserto: Moisés! Ele renova os seus sonhos que ele teve quando mais jovem quando quis libertar o povo do cativeiro com sua própria força.
E agora sai Moisés na força do Senhor e o Senhor o enviando para libertar o povo de Deus do cativeiro do Egito. Assim, entendo que o cativeiro foi permitido por Deus e que Deus foi poderoso para o libertar o seu povo.
Ao libertar o povo e o conduzir pelo deserto, Deus faz uma aliança com o povo e passa a habitar no meio deles e de dia e de noite, durante o tempo em que se encontraram no deserto, todos os dias, Deus estava ali com eles, no tabernáculo que ele mesmo instruiu Moisés a construir, segundo o modelo que se lhe mostrava. De dia, Deus estava ali com eles, na nuvem que os protegia do calor e de noite com um fogo que os aquecia.
Agora estamos no mundo e Deus está nos levando ou nos conduzindo para a Nova Jerusalém. Já não estamos no deserto ali entre o Egito e Canaã, mas estamos no deserto do mundo.
Ele prometeu estar conosco todos os dias e não temos mais a nuvem física ou a coluna de fogo, mas temos a presença de Deus, não em um tabernáculo, mas no templo de Deus que somos nós, mediante o seu Espírito Santo.
João 14:25 Tenho-vos dito isto, estando convosco.
João 14:26 Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.
Queridos, Deus nos chamou para a liberdade. Ele nos libertou do Egito, do mundo e de todos os seus deuses e senhores.
Gálatas 5:1 Para a liberdade Cristo nos libertou; permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jogo de escravidão.
Gálatas 5:13 Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Mas não useis da liberdade para dar ocasião à carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros.
Gálatas 5:14 Pois toda a lei se cumpre numa só palavra, a saber: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
SAINDO DO CATIVEIRO e agora caminhando a nossa caminhada rumo à pátria celestial para em breve estarmos com o Senhor para sempre.
Israel havia saído do Egito pela providência divina e no deserto foi a hora do Egito sair de Israel. Agora que estamos livres em Cristo do mundo, o mundo precisa sair de nossas vidas.
Uma boa viagem a todos. Nos encontraremos em breve!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete
http://www.jamaisdesista.com.br

...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.