segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Êxodo 33: 1-23 – DEUS SE REVELA AOS QUE CREEM, MAS SE OCULTA DOS INCRÉDULOS.

Que lindo capítulo de Êxodo! Que fantástico o relacionamento do Criador com a criatura. Percebe-se que o Criador quer se revelar ainda mais e andar no meio do povo, mas o povo é de dura cerviz. Deus então se revela aos que creem e se oculta dos incrédulos.
Aquela quebra das duas tábuas da lei por Moisés representavam a quebra da aliança de Deus com o povo por isso estava a coisa toda tomando este rumo. O episódio do bezerro de ouro foi um episódio que trouxe juízo aos desobedientes, ou seja aos incrédulos.
Hebreus 3:11 Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso.
Hebreus 3:18 E contra quem jurou que não entrariam no seu descanso, senão contra os que foram desobedientes?
Hebreus 4:1 Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado.
Hebreus 4:3 Nós, porém, que cremos, entramos no descanso, conforme Deus tem dito: Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso. Embora, certamente, as obras estivessem concluídas desde a fundação do mundo.
Hebreus 4:5 E novamente, no mesmo lugar: Não entrarão no meu descanso.
Hebreus 4:8 Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso, não falaria, posteriormente, a respeito de outro dia.
Hebreus 4:10 Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas.
Hebreus 4:11 Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência.
Não mais a nação seria uma nação de sacerdotes, desfrutando da comunhão contínua com Deus – 19:3-6; 29:45-46. Era este um momento de grande crise na nação israelita.
Deus continua a insistir com Moisés - apesar de ele ter retrucado que ele -, que foi ele, Moisés, quem fez o povo subir da terra do Egito quando diz, vs. 1: “tu e o teu povo que fizeste subir da terra do Egito” – g.n.
Ele fala a eles para subirem à terra que ele jurou aos seus antepassados Abraão, Isaque e Jacó. Isso indicando que Deus preserva a sua promessa e guarda a sua palavra zelando por ela para a cumprir, mas a sua aliança seria exclusiva para os que buscassem ao Senhor, vs. 7.
A palavra falada do Senhor é nossa garantia e penhor que tudo que ele prometeu se cumprirá no seu devido tempo e nossa fé se baseia não em vento ou é cega, antes é firmada e fundamentada na palavra daquele que prometeu. Ele falou, nós cremos. E ai faremos como o apóstolo Paulo, “cri, por isso falei”.
Eu agora parafraseio ambos e digo: cri, porque ele falou, por isso falarei também. Explicando: a minha fé tem origem na fala de Deus e por causa disso ela gera a fala do meu testemunho. Ele falou, eu cri. Eu cri, por isso falarei!
Veja este “espírito da fé” de que fala Paulo: II Coríntios 4:13 “Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos,”.
E Deus promete enviar um anjo poderoso para ir a frente deles expulsando da terra deles – uma terra especial que mana leite e mel -, dadas por Deus, os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus.
E Deus declara claramente que não subirá no meio deles por serem eles povo de dura cerviz. O povo se entristece, mas reconhece que é assim. Se Deus fica no meio deles, eles seriam consumidos e assim ficam tristes por serem o que são, de dura cerviz.
Foi mesmo uma má notícia o fato de que Deus não poderia estar no meio deles. Hoje, graças ao Cristo, somos nós o próprio Templo e Tabernáculo do Senhor que carrega a sua própria presença por onde quer que vamos.
A garantia de que também não seremos destruídos não está na nossa santidade e porque somos melhores do que o povo de dura cerviz, mas por que o sumo sacerdote está conosco, o Mediador, o Messias. Ele morreu a nossa morte para nos dar a sua vida!
Deus não poderia subir no meio deles porque se não poderia destruí-los, assim ele fala a Moisés para dizer ao povo para o povo tirar os seus atavios, para que ele, o Senhor, saiba o que se há de fazer.
Eles tiram os seus atavios ou seja as vestes festivas associadas à idolatria – Gn 35:4 – e assumem uma postura de pranteadores, mas isso não era arrependimento, antes remorsos, já que eram e continuavam a ser um povo teimoso. No entanto, havia uma palavra e um sinal de esperança nas palavras “para que eu saiba o que te hei de fazer”. Aqui estava instalada uma grande crise em Israel por causa do grande pecado cometido.
A promessa de Deus seria mantida com ele lançando fora os cananeus e dando a terra a seu povo, mas ele, o Senhor, não seria o Senhor que habitaria no meio deles, ao contrário, outro acordo já estava em operação – veja vs. 7 a 11 – e tendo continuidade.
Deus se encontraria com Moisés, e com os israelitas interessados, numa tenda “fora, bem longe do arraial” – vs. 7. Essa “Tenda da Congregação” – vs. 7 – não era a habitação de Deus; Josué vivia lá – vs. 11. Deus ia apenas à entrada da tenda numa coluna de nuvem para falar com Moisés – vs. 9 e 10.
O povo obedece e Moisés entra na tenda.
O relacionamento de Moisés com o Senhor nos impressiona e, diz a palavra, que ele lhe falava como qualquer um fala ao seu amigo, face-a-face! Aqui agora começa um pedido especial de Moisés a Deus e ele insiste nele com muita sutileza.
Moisés quer a garantia de que Deus vá com ele e quer uma prova disso, ou seja, ele estava buscando uma revelação maior de Deus, ele queria ver a glória do Senhor. Havia pouco tempo quase que o Senhor destruiria todo o povo e dele, de Moisés, levantaria uma outra nação. Moisés estava inseguro e precisava de algo mais de Deus.
Moisés vai se aproximando de Deus cada vez mais e o Senhor vai lhe permitindo e ambos vão travando um diálogo que nos empolga e nos incentiva a buscar ao Senhor mais e mais.
A nuvem desce e os cobre. O povo entra em adoração. Moisés faz o seu pedido e Deus não permite que ele veja a sua face porque homem nenhum verá a face de Deus e viverá e assim lhe promete passar diante dele a sua bondade onde ele proclamaria seu nome e no momento certo protegeria ele da sua glória com suas próprias mãos e assim Moisés o veria pelas costas.
Deus diz nesse momento e afirma que ele terá misericórdia de quem ele tiver misericórdia, que ele se compadecerá de quem ele se compadecer. Não há aqui em Deus protecionismo ou favoritismo ou predileção nem preconceito da parte de Deus porque Deus é justo, santo, verdadeiro e perfeito em todos os seus caminhos.
Assim quando ele diz que terá misericórdia e se compadecerá de quem ele quer, ele está sendo justo, santo, bom e verdadeiro. Eu entendo aqui que Deus havia rejeitado os incrédulos e cedido a sua presença aos da fé, os que creem, conforme bem nos explica o autor de Hebreus ao comentar sobre o assunto.
Ex 33:1 Disse mais o SENHOR a Moisés:
Vai, sobe daqui,
tu e o povo que fizeste subir da terra do Egito,
à terra que jurei a Abraão, a Isaque, e a Jacó, dizendo:
A tua descendência a darei.
Ex 33:2 E enviarei um anjo adiante de ti,
e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus,
e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus,
Ex 33:3 A uma terra que mana leite e mel;
porque eu não subirei no meio de ti,
porquanto és povo de dura cerviz,
para que te não consuma eu no caminho.
Ex 33:4 E, ouvindo o povo esta má notícia,
pranteou-se e ninguém pôs sobre si os seus atavios.
Ex 33:5 Porquanto o SENHOR tinha dito a Moisés:
Dize aos filhos de Israel:
És povo de dura cerviz;
se por um momento subir no meio de ti,
te consumirei;
porém agora tira os teus atavios,
para que eu saiba o que te hei de fazer.
Ex 33:6 Então os filhos de Israel se despojaram
dos seus atavios, ao pé do monte Horebe.
Ex 33:7 E tomou Moisés a tenda,
e a estendeu para si fora do arraial,
desviada longe do arraial,
e chamou-lhe
a tenda da congregação.
E aconteceu que todo aquele que buscava o SENHOR
saía à tenda da congregação,
que estava fora do arraial.
Ex 33:8 E acontecia que, saindo Moisés à tenda,
todo o povo se levantava,
e cada um ficava em pé à porta da sua tenda;
e olhava para Moisés pelas costas,
até ele entrar na tenda.
Ex 33:9 E sucedia que, entrando Moisés na tenda,
descia a coluna de nuvem,
e punha-se à porta da tenda;
e o SENHOR falava com Moisés.
Ex 33:10 E, vendo todo o povo a coluna de nuvem que estava à porta da tenda,
todo o povo se levantava e cada um, à porta da sua tenda,
adorava.
Ex 33:11 E falava o SENHOR a Moisés
face a face,
como qualquer fala com o seu amigo;
depois tornava-se ao arraial;
mas o seu servidor, o jovem Josué, filho de Num,
nunca se apartava do meio da tenda.
Ex 33:12 E Moisés disse ao SENHOR:
Eis que tu me dizes:
Faze subir a este povo,
porém não me fazes saber
a quem hás de enviar comigo;
e tu disseste:
Conheço-te por teu nome,
também achaste graça aos meus olhos.
Ex 33:13 Agora, pois, se tenho achado graça aos teus olhos,
rogo-te
que me faças saber o teu caminho,
e conhecer-te-ei,
para que ache graça aos teus olhos;
e considera que esta nação é o teu povo.
Ex 33:14 Disse pois:
Irá a minha presença contigo para te fazer descansar.
Ex 33:15 Então lhe disse:
Se tu mesmo não fores conosco,
não nos faças subir daqui.
Ex 33:16 Como, pois, se saberá agora
que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo?
Acaso não é por andares tu conosco,
de modo a sermos separados,
eu e o teu povo,
de todos os povos que há sobre a face da terra?
Ex 33:17 Então disse o SENHOR a Moisés:
Farei também isto, que tens dito;
porquanto achaste graça aos meus olhos,
e te conheço por nome.
Ex 33:18 Então ele disse:
Rogo-te
que me mostres a tua glória.
Ex 33:19 Porém ele disse:
Eu farei passar toda a minha bondade por diante de ti,
e proclamarei o nome do SENHOR diante de ti;
e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia,
e me compadecerei de quem eu me compadecer.
Ex 33:20 E disse mais:
Não poderás ver a minha face,
porquanto homem nenhum verá a minha face,
e viverá.
Ex 33:21 Disse mais o SENHOR:
Eis aqui um lugar junto a mim;
aqui te porás sobre a penha.
Ex 33:22 E acontecerá que, quando a minha glória passar,
pôr-te-ei numa fenda da penha,
e te cobrirei com a minha mão,
até que eu haja passado.
Ex 33:23 E, havendo eu tirado a minha mão,
me verás pelas costas;
mas a minha face
não se verá.
No próximo capítulo nos aprofundaremos no que Deus falou e declarou baseado no que diz Gerard Van Groningen.

A bondade do Senhor velou aquilo que Moisés não suportaria ver e revelou tudo o que ele suportaria. Com Jesus Cristo, a glória velada a Moisés é revelada ao crente – Jo 1:14, 18; 2 Co 3:18 – por meio do Espírito Santo. (BEG).
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.