sábado, 12 de outubro de 2013

Êxodo 17: 1-16 – A IMPORTÂNCIA DA INTERCESSÃO

Dois fatos importantes neste capítulo quando eles saem do deserto de Sim e acampam em Refidim, o primeiro são novamente as murmurações do povo contra Moisés e Deus e o segundo, a primeira vitória de Israel numa batalha, por causa da intercessão.
Novamente as murmurações e agora por não haver água para beber. O povo parecia impaciente e não entendera ainda que o Senhor era com eles. Escolheram o péssimo caminho das murmurações.
Contra quem estavam murmurando e falando coisas terríveis de afronta e desrespeito total? Contra os líderes? Sim, era contra eles, mas o alvo deles era ainda maior, eles estavam desrespeitosamente afrontando a Deus.
E quanto a nós que temos o Espírito Santo de Deus habitando em nós nesta época dos fins, do tempo de nosso êxodo do mundo em direção à nossa pátria celestial, do tempo em que estamos aguardando nosso triunfo final, a volta de Jesus Cristo?
O êxodo não acabou! Eles estavam caminhando e a sua caminhada é para nós um modelo de que devemos tomar cuidado com certas coisas, principalmente a murmuração. Será que nos falta água para beber neste deserto escaldante de tantas filosofias e ciências que os homens tem inventado querendo explicar os fenômenos que os cercam?
Deus mesmo dá a solução para Moisés depois de que ele lhe pediu socorro e ajuda. Na mão de Moisés ele tinha ainda a sua vara e com ela Deus iria agira para que ele pudesse trazer água para o povo.
Ele deveria ferir a rocha com a sua vara e ela iria produzir água. Que método engraçado de produzir água que mata a sede! Você já se imaginou num deserto com uma vara desferindo golpes nela esperando que destes golpes brotem água? Loucura! Mas foi assim que Deus instruiu e eles seguiram as instruções e todo o povo saciou a sua sede com águas da Rocha ferida! E ai, meu querido irmão, está o Senhor no meio de vós ou não? Cuidado com suas murmurações!
Agora temos uma peleja contra Amaleque. Quem começou a briga foi o próprio Amaleque que foi contra Israel. Moisés levanta Josué e dá instruções de como batalhar e Josué escolhe os homens e sai à peleja.
Que peleja também engraçada! Ela foi uma peleja dura, difícil e que durou todo o dia. O segredo da vitória era manter as mãos de Moisés levantadas o tempo todo.
Moisés não dava conta sozinho desta simples façanha e suas mãos ficaram pesadas como chumbo. Arão e Hur ao invés de irem à luta na frente da guerra, resolvem ser escoradores dos braços de Moisés a fim de mantê-lo sempre erguido.
A atitude deles foi perfeita e a vitória estaria garantida enquanto conseguissem manter os fortes braços de Moisés erguidos. Eles venceram a peleja contra Amaleque.
Aqui Deus está nos ensinando a importância da guerra de oração que é travada longe dos campos de batalha, mas que são tão importantes, se não mais ainda que a própria batalha em si. Não haveria vitórias se Moisés abaixasse seus braços e ele não deu conta sozinho e precisou de ajuda de mais intercessores que o ajudassem.
A guerra foi vencida! Deus me parece ter muito senso de humor!
Ex 17:1 Depois toda a congregação dos filhos de Israel
partiu do deserto de Sim pelas suas jornadas,
segundo o mandamento do SENHOR,
e acampou em Refidim
e não havia ali água para o povo beber.
Ex 17:2 Então contendeu o povo com Moisés, e disse:
Dá-nos água para beber.
E Moisés lhes disse:
Por que contendeis comigo?
Por que tentais ao SENHOR?
Ex 17:3 Tendo pois ali o povo sede de água,
o povo murmurou contra Moisés, e disse:
Por que nos fizeste subir do Egito,
para nos matares de sede,
a nós e aos nossos filhos, e ao nosso gado?
Ex 17:4 E clamou Moisés ao SENHOR, dizendo:
Que farei a este povo?
Daqui a pouco me apedrejará.
Ex 17:5 Então disse o SENHOR a Moisés:
Passa diante do povo,
e toma contigo alguns dos anciãos de Israel;
e toma na tua mão a tua vara,
com que feriste o rio, e vai.
Ex 17:6 Eis que eu estarei ali diante de ti sobre a rocha,
em Horebe,
e tu ferirás a rocha,
e dela sairão águas
e o povo beberá.
E Moisés assim o fez,
diante dos olhos dos anciãos de Israel.
Ex 17:7 E chamou aquele lugar
Massá e Meribá,
por causa da contenda dos filhos de Israel,
e porque tentaram ao SENHOR, dizendo:
Está o SENHOR no meio de nós, ou não?
Ex 17:8 Então veio Amaleque,
e pelejou contra Israel em Refidim.
Ex 17:9 Por isso disse Moisés a Josué:
Escolhe-nos homens,
e sai,
peleja contra Amaleque;
amanhã eu estarei sobre o cume do outeiro,
e a vara de Deus estará na minha mão.
Ex 17:10 E fez Josué como Moisés lhe dissera,
pelejando contra Amaleque;
mas Moisés, Arão, e Hur subiram ao cume do outeiro.
Ex 17:11 E acontecia que,
quando Moisés levantava a sua mão,
Israel prevalecia;
mas quando ele abaixava a sua mão,
Amaleque prevalecia.
Ex 17:12 Porém as mãos de Moisés eram pesadas,
por isso tomaram uma pedra,
e a puseram debaixo dele,
para assentar-se sobre ela;
e Arão e Hur sustentaram as suas mãos,
um de um lado
e o outro do outro;
assim ficaram as suas mãos firmes
até que o sol se pôs.
Ex 17:13 E assim Josué desfez
a Amaleque e a seu povo,
ao fio da espada.
Ex 17:14 Então disse o SENHOR a Moisés:
Escreve isto para memória num livro,
e relata-o aos ouvidos de Josué;
que eu totalmente hei de riscar
a memória de Amaleque de debaixo dos céus.
Ex 17:15 E Moisés edificou um altar, ao qual chamou:
O SENHOR É MINHA BANDEIRA.
Ex 17:16 E disse:
Porquanto jurou o SENHOR,
haverá guerra do SENHOR contra Amaleque
de geração em geração.
Deus pediu a Moisés que tudo registrasse. E ele registrou e nos deixou a história narrada nos cinco primeiro livros da Bíblia. Moisés feliz com os resultados e vendo a forma de Deus agir erige um altar ao Senhor e o chama de sua bandeira.

É Deus queridos quem peleja as nossas batalhas enquanto estamos com ele o adorando e o servindo de todo o nosso coração, alma, forças e entendimento.
Pr. Daniel Deusdete.
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.