sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Êxodo 16: 1-36 – O MANÁ NO DESERTO ERA O DEUS PROVEDOR AGINDO.

O povo parte de Elim, do lugar de delícias, daquele lugar de 12 fontes e 70 palmeiras, daquele presente de Deus no deserto, daquele paraíso e continuam sua jornada que não deveria durar mais do que 40 dias até chegarem à terra de Canaã, terra que mana leite e mel.
E eles saíram de Elim e vieram ao deserto de Sim, entre Elim e o Sinai, aos quinze dias do mês segundo, depois da sua saída da terra do Egito, mas ai acontece algo terrível. O povo murmura novamente!
Ah quão terrível é este pecado! Não era uma simples murmuração contra a liderança, mas mesmo uma afronta contra Deus, o Senhor, que ali estava com eles e que se tinha manifestado já de tantas maneiras e modos.
Não sabia o povo que Deus era com eles? Sabiam sim, mas resolveram provocá-lo. Sua queixa e reclamação era descabida. Deus estava ciente de suas necessidades e pronto para socorrê-los com o bom e o melhor em qualquer instante.
Na verdade, Deus os estava provando e já logo iria tirar do seu meio para sempre os INCRÉDULOS. Contra quem não haveria descanso, dizia o autor do livro de Hebreus analisando a história em seu livro – Hb 4:1-13? Contra os incrédulos!
Aqui Deus começava a separar os crentes e respeitadores e tementes a Deus dos incrédulos e abusados e sem temores a Deus. Este é o pior dos tipos de incrédulos porquanto têm visto Deus operar maravilhosamente no meio deles e ainda assim resolveram endurecer seus corações.
NO EGITO ISRAEL TINHA:
NO DESERTO ISRAEL TERIA:
-          casa de tijolos
-          tenda de pelos de cabra
-          panelas de carne
-          codornizes
-          melões, pepinos e cebola
-          maná do céu
-          água canalizada
-          água da rocha
-          escravidão
-          peregrinação
-          idolatria
-          monoteísmo
-          templos pagãos
-          tabernáculo
Deus ouve suas murmurações e provê para eles alimentação divina pela manhã e carne à tarde que serão as codornizes que veremos somente no próximo capítulo. Aqui a narração somente fala e analisa em detalhes a entrega do maná.
A entrega do maná é algo sobrenatural e sem lógica física, mas totalmente aleatória ou debaixo das regras estabelecidas por Deus.
A colheita era algo estranho porque os que colhiam mais, na sua ganância e medo, e os que colhiam menos, por temor e também medo, no fim da colheita as porções eram iguais.
Se eu guardava um pouco delas para o dia seguinte por temer que Deus falharia no dia seguinte, minha atitude provocaria no alimento podridão e ele ficaria cheirando mal e cheio de bichos, no entanto, no sábado a colheita era dupla e o que sobrava, não estragava.
Também foi colhido maná e guardado para mostrar às gerações futuras sem que eles se estragassem. Aqui as leis da física eram abusivamente violadas e nada acontecia...
A colheita e o cair do pão alimentando o povo diariamente no deserto durou 40 anos, ou seja, 14.400 dias ou colheitas desse tipo. Minha curiosidade matemática: 14.400 = (12^2)x(10^2).
O maná tinha gosto adocicado, sabor de pão de mel, e era como o alimento dos anjos, veja Sl 78:25. Mesmo o Senhor Jesus se chamou a si mesmo de o maná que desceu dos céus, o verdadeiro maná, ou pão da vida – Jo 6:35 do qual esta provisão no deserto fora apenas um símbolo e um tipo.
Eu vejo aqui Deus indo além de tudo que se possa imaginar e dando alimento ao povo que não poderia cultivar a terra onde estava e precisava de alimento e não o levaram do Egito porque seria muito e não daria para levar.
Deus cuida do seu povo! No momento em que chegaram à terra de Canaã, cessou a produção de Maná! Por quê? Por que agora poderiam produzi-la trabalhando a terra. Então o maná no deserto era o Deus provedor agindo.
Deus agia do seu modo e do seu jeito e segundo a sua lógica e física mesmo que o padrão humano fosse quebrado ou violado. Deus estava tão próximo ao povo e este ainda não tinha percebido ou seus corações ainda estavam adormecidos.
Aqui neste capítulo, vemos Deus cuidando do sábado, do dia de descanso, para que o povo fosse já aprendendo a dedicar a Deus seu sábado. A lei que viria depois não o iniciou, antes o confirmou. O sábado de descanso já existia e Deus instruía assim o seu povo.
Ex 16:1 E partindo de Elim,
toda a congregação dos filhos de Israel veio ao deserto de Sim,
que está entre Elim e Sinai,
aos quinze dias do mês segundo,
depois de sua saída da terra do Egito.
Ex 16:2 E toda a congregação dos filhos de Israel
murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto.
Ex 16:3 E os filhos de Israel disseram-lhes:
Quem dera tivéssemos morrido por mão do SENHOR
na terra do Egito,
quando estávamos sentados junto às panelas de carne,
quando comíamos pão até fartar!
Porque nos tendes trazido a este deserto,
para matardes de fome a toda esta multidão.
Ex 16:4 Então disse o SENHOR a Moisés:
Eis que vos farei chover pão dos céus,
e o povo sairá,
e colherá diariamente a porção para cada dia,
para que eu o prove
se anda em minha lei ou não.
Ex 16:5 E acontecerá, no sexto dia,
que prepararão o que colherem;
e será o dobro do que colhem cada dia.
Ex 16:6 Então disseram Moisés e Arão a todos os filhos de Israel:
A tarde sabereis que o SENHOR
vos tirou da terra do Egito,
Ex 16:7 E amanhã vereis a glória do SENHOR,
porquanto ouviu as vossas murmurações contra o SENHOR.
E quem somos nós,
para que murmureis contra nós?
Ex 16:8 Disse mais Moisés:
Isso será quando o SENHOR à tarde vos der carne para comer,
e pela manhã pão a fartar,
porquanto o SENHOR ouviu as vossas murmurações,
com que murmurais contra ele.
E quem somos nós?
As vossas murmurações não são contra nós,
mas sim contra o SENHOR.
Ex 16:9 Depois disse Moisés a Arão:
Dize a toda a congregação dos filhos de Israel:
Chegai-vos à presença do SENHOR,
porque ouviu as vossas murmurações.
Ex 16:10 E aconteceu que, quando falou Arão a toda a congregação
dos filhos de Israel, e eles se viraram para o deserto,
eis que a glória do SENHOR apareceu na nuvem.
Ex 16:11 E o SENHOR falou a Moisés, dizendo:
Ex 16:12 Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel.
Fala-lhes, dizendo:
Entre as duas tardes comereis carne,
e pela manhã vos fartareis de pão;
e sabereis que eu sou o SENHOR vosso Deus.
Ex 16:13 E aconteceu que à tarde subiram codornizes,
e cobriram o arraial;
e pela manhã
jazia o orvalho ao redor do arraial.
Ex 16:14 E quando o orvalho se levantou,
eis que sobre a face do deserto estava
uma coisa miúda, redonda, miúda como a geada
sobre a terra.
Ex 16:15 E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros:
Que é isto?
Porque não sabiam o que era.
Disse-lhes pois Moisés:
Este é o pão que o SENHOR vos deu para comer.
Ex 16:16 Esta é a palavra que o SENHOR tem mandado:
Colhei dele cada um conforme ao que pode comer,
um ômer por cabeça,
segundo o número das vossas almas;
cada um tomará para os que se acharem na sua tenda.
Ex 16:17 E os filhos de Israel fizeram assim;
e colheram, uns mais e outros menos.
Ex 16:18 Porém,
medindo-o com o ômer,
não sobejava ao que colhera muito,
nem faltava ao que colhera pouco;
cada um colheu tanto quanto podia comer.
Ex 16:19 E disse-lhes Moisés:
Ninguém deixe dele para amanhã.
Ex 16:20 Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés,
antes alguns deles deixaram dele para o dia seguinte;
e criou bichos, e cheirava mal;
por isso indignou-se Moisés contra eles.
Ex 16:21 Eles, pois,
o colhiam cada manhã,
cada um conforme ao que podia comer;
porque,
aquecendo o sol, derretia-se.
Ex 16:22 E aconteceu que ao sexto dia
colheram pão em dobro,
dois ômeres para cada um;
e todos os príncipes da congregação vieram,
e contaram-no a Moisés.
Ex 16:23 E ele disse-lhes:
Isto é o que o SENHOR tem dito:
Amanhã é repouso,
o santo sábado do SENHOR;
o que quiserdes cozer no forno,
cozei-o,
e o que quiserdes cozer em água,
cozei-o em água;
e tudo o que sobejar,
guardai para vós até amanhã.
Ex 16:24 E guardaram-no até o dia seguinte,
como Moisés tinha ordenado;
e não cheirou mal nem nele houve algum bicho.
Ex 16:25 Então disse Moisés:
Comei-o hoje,
porquanto hoje é o sábado do SENHOR;
hoje não o achareis no campo.
Ex 16:26 Seis dias o colhereis,
mas o sétimo dia é o sábado;
nele não haverá.
Ex 16:27 E aconteceu ao sétimo dia,
que alguns do povo saíram para colher,
 mas não o acharam.
Ex 16:28 Então disse o SENHOR a Moisés:
Até quando recusareis guardar os meus mandamentos
e as minhas leis?
Ex 16:29 Vede,
porquanto o SENHOR vos deu o sábado,
portanto ele no sexto dia vos dá pão para dois dias;
cada um fique no seu lugar,
ninguém saia do seu lugar no sétimo dia.
Ex 16:30 Assim repousou o povo no sétimo dia.
Ex 16:31 E chamou a casa de Israel o seu nome maná;
e era como semente de coentro branco,
e o seu sabor como bolos de mel.
Ex 16:32 E disse Moisés:
Esta é a palavra que o SENHOR tem mandado:
Encherás um ômer dele
e guardá-lo-ás para as vossas gerações,
para que vejam o pão que vos tenho dado a comer
neste deserto, quando eu vos tirei da terra do Egito.
Ex 16:33 Disse também Moisés a Arão:
Toma um vaso,
e põe nele um ômer cheio de maná,
e coloca-o diante do SENHOR,
para guardá-lo para as vossas gerações.
Ex 16:34 Como o SENHOR tinha ordenado a Moisés,
assim Arão o pôs diante do Testemunho,
para ser guardado.
Ex 16:35 E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos,
até que entraram em terra habitada;
comeram maná até que chegaram
aos termos da terra de Canaã.
Ex 16:36 E um ômer é a décima parte do efa.
O presente capítulo se encerra com Arão e Moisés seguindo as instruções do Senhor para preservação de uma parte do maná para ficar de exposição ao povo no futuro. Que pena que deixaram, por descuido, essa preciosidade de testemunho se perder.

Que Deus tremendo e espetacular que cuida de detalhes e que se importa e que anda conosco e que nos trata tão bem. Hoje não temos essas manifestações teofânicas, nem esses milagres e maravilhas, mas temos algo muito melhor, o Espírito Santo habitando em cada crente. Depois falaremos mais disso.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.