quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Gênesis 50: 1-26 – A MORTE DE JACÓ E A DE JOSÉ.

Esse último capítulo narra a morte e o cortejo fúnebre gigantesco de Jacó em Canaã, e também narra a morte de José e as suas palavras finais e proféticas a seus irmãos e a toda aquela geração. Sua palavra dizia que Deus os visitaria para os tirar dali e para os levar para Canaã, a terra prometida.
A bela história dos patriarcas está agora chegando ao seu final, no entanto, nada há registrado acerca da morte dos irmãos de José. Nada se sabe, quem morreu primeiro ou por último. Nós temos interesse particular na data precisa da morte de Judá por causa da semente messiânica, mas cremos que deve ter vivido ali perto dos 110 anos como José. Estariam todos os seus irmãos vivos quando José morreu? Com quantos anos Judá morreu? Nada se sabe.
Todos os preparativos relacionados à morte de Jacó foram tomados por seus filhos, mas em especial por José, que tivera o privilégio ainda de conviver com seu pai no Egito dos 130 aos 147 anos da vida de Jacó.
José ordenou que se realizassem o embalsamento de seu pai Jacó e, cremos, deve ter sido daqueles embalsamentos típicos de Faraós, com tudo o que o dinheiro, o poder e a fama poderiam conseguir. Esse cerimonial levava um pouco de tempo para ficar tudo preparado, devidos aos seus requintes.
Depois de tudo feito, José procura por Faraó que o atende em tudo além das suas necessidades que ele pede, dando-lhe mais recursos e pessoas para o acompanharem. José promete ir e voltar e assim fez: foi sepultar seu pai na terra de Canaã, junto com Abraão e Isaque e depois voltou à terra do Egito.
Na volta, seus irmãos entraram em pânico e tiveram medo de que José se voltasse contra eles e elaboraram seu pedido de perdão. Que bênção! Agora o objetivo dos irmãos de José era obedecer a palavra de Deus. Então, eles falaram a José, que sentindo a presença de Deus e a transformação que no coração deles se operara por parte do Espírito Santo, chorou diante deles.
Foi sem dúvida um momento especial e a paz voltou a reinar ali em Gósen e o povo cresceu e se multiplicou e teve paz e prosperidade, sob a proteção de Deus por meio da instrumentalidade de seu filho José.
Após a morte de Jacó, José dirigiu a atenção dos patriarcas para a Terra Prometida. Ele reafirmou a segurança deles no Egito – vs. 15-21 - e o futuro deles na Terra Prometida – vs. 22-26.
O tempo vai passando, e após 50 anos da morte de Jacó, José agora vai caminhando para seu fim, com seus 110 anos de vida e reúne seus irmãos e lhes fala profeticamente conforme entendia do que lhe falara seu pai e conforme os seus próprios apontamentos. José morre e é embalsamado e colocado num caixão do Egito. Provavelmente foi levado, como queria, para onde foi sepultado os seus pais, embora nada há registrado sobre isso.
Os registros dessa era patriarcal estavam sendo concluídos. O livro se encerra com a expectativa da visitação de Deus, em breve. Também é curioso que o Novo Testamento também se encerra com uma expectativa de uma visitação do céu, quando todos os crentes farão o êxodo da morte para a vida física eterna – Ap 22:20.
Gn 50:1 Então José
se lançou sobre o rosto de seu pai
e chorou sobre ele,
e o beijou.
Gn 50:2 E José
ordenou aos seus servos, os médicos,
que embalsamassem a seu pai;
e os médicos embalsamaram a Israel.
Gn 50:3 E cumpriram-se-lhe quarenta dias;
porque assim se cumprem os dias daqueles que se embalsamam;
e os egípcios o choraram setenta dias.
Gn 50:4 Passados, pois, os dias de seu choro,
falou José à casa de Faraó, dizendo:
Se agora tenho achado graça aos vossos olhos,
rogo-vos que faleis aos ouvidos de Faraó,
dizendo:
Gn 50:5 Meu pai me fez jurar, dizendo:
Eis que eu morro; em meu sepulcro,
que cavei para mim na terra de Canaã,
ali me sepultarás.
Agora, pois, te peço,
que eu suba, para que sepulte a meu pai;
então voltarei.
Gn 50:6 E Faraó disse:
Sobe,
e sepulta a teu pai como ele te fez jurar.
Gn 50:7 E José subiu para sepultar a seu pai;
e subiram com ele todos os servos de Faraó,
os anciãos da sua casa,
e todos os anciãos da terra do Egito.
Gn 50:8 Como também toda a casa de José, e seus irmãos,
e a casa de seu pai;
somente deixaram na terra de Gósen
os seus meninos, e as suas ovelhas e as suas vacas.
Gn 50:9 E subiram também com ele,
tanto carros como gente a cavalo;
e o cortejo foi grandíssimo.
Gn 50:10 Chegando eles, pois,
à eira de Atade, que está além do Jordão,
fizeram um grande e dolorido pranto;
e fez a seu pai uma grande lamentação por sete dias.
Gn 50:11 E vendo os moradores da terra, os cananeus,
o luto na eira de Atade, disseram:
É este o pranto grande dos egípcios.
Por isso chamou-se-lhe Abel-Mizraim,
que está além do Jordão.
Gn 50:12 E fizeram-lhe os seus filhos
assim como ele lhes ordenara.
Gn 50:13 Pois os seus filhos
o levaram à terra de Canaã,
e o sepultaram na cova do campo de Macpela,
que Abraão tinha comprado com o campo, por herança
de sepultura de Efrom, o heteu, em frente de Manre.
Gn 50:14 Depois de haver sepultado seu pai,
voltou José para o Egito,
ele e seus irmãos,
e todos os que com ele subiram a sepultar seu pai.
Gn 50:15 Vendo então os irmãos de José
que seu pai já estava morto, disseram:
Porventura nos odiará José
e certamente nos retribuirá todo o mal
que lhe fizemos.
Gn 50:16 Portanto mandaram dizer a José:
Teu pai ordenou, antes da sua morte, dizendo:
Gn 50:17 Assim direis a José:
Perdoa, rogo-te,
a transgressão de teus irmãos,
e o seu pecado, porque te fizeram mal;
agora, pois, rogamos-te
que perdoes a transgressão dos servos do Deus de teu pai.
E José chorou quando eles lhe falavam.
Gn 50:18 Depois vieram também seus irmãos,
e prostraram-se diante dele, e disseram:
Eis-nos aqui por teus servos.
Gn 50:19 E José lhes disse:
Não temais;
porventura estou eu em lugar de Deus?
Gn 50:20 Vós bem intentastes mal contra mim;
porém Deus o intentou para bem,
para fazer como se vê neste dia,
para conservar muita gente com vida.
Gn 50:21 Agora, pois, não temais;
eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos.
Assim os consolou,
e falou segundo o coração deles.
Gn 50:22 José, pois, habitou no Egito,
ele e a casa de seu pai;
e viveu José cento e dez anos.
Gn 50:23 E viu José os filhos de Efraim,
da terceira geração;
também os filhos de Maquir,
filho de Manassés,
nasceram sobre os joelhos de José.
Gn 50:24 E disse José a seus irmãos:
Eu morro;
mas Deus certamente vos visitará,
e vos fará subir desta terra à terra que jurou
a Abraão, a Isaque e a Jacó.
Gn 50:25 E José fez jurar os filhos de Israel, dizendo:
Certamente vos visitará Deus,
e fareis transportar os meus ossos daqui.
Gn 50:26 E morreu José
da idade de cento e dez anos,
e o embalsamaram
e o puseram num caixão no Egito.
Foi Moisés quem cumpriu o juramento feito a José sobre o seu sepultamento – Êx 13:19 – e foi Josué quem completou o sepultamento. José foi sepultado em Siquém – Js 24:32.
Ressalte-se ainda que pela primeira vez é registrado o termo Abraão, Isaque e Jacó juntos – vs. 24.
Veja esta última tabela.

QUADRO V - QUADRO DEMONSTRATIVO DA CONTEMPORANEIDADE DE ABRAÃO ATÉ NAASSON
Obs.: os números 20º, 21º, até o 28º correspondem a ordem do nascimento daquele que é o portador da semente messiânica, conforme narra Lucas 3:23-38. Reparem, mais uma vez, que a destruição de Sodoma e Gomorra, por volta do ano 2110, também contados a partir de Adão.
Infelizmente, não temos os tempos de vida de Judá em diante até Naasson, por isso que estão acinzentados e iguais, mas muito provavelmente isso se deu, conforme está exposto.

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.