segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Gênesis 48: 1-22 – JACÓ ADOECE.

Neste capítulo, José recebe um recado de alguém que também dá recado a Jacó e ambos se encontram. Estava chegando a hora da partida de Jacó desta terra estando já velho, cheio de dias e perto dos 175 anos de idade. José apresenta a ele seus dois filhos e Jacó os abençoa dando a sua bênção maior ao menor dos filhos. É a questão da eleição de Deus.
Não é pelo que fez ou que deixou de fazer Manassés, o  que nasceu primeiro e tinha direito a primogenitura, nem pelo que fez ou deixou de fazer Efraim, que foi o menor dos gêmeos, mas pela escolha soberana de Deus.
Também não é a escolha baseada numa pré-ciência do futuro de como um iria responder ao chamado de Deus e como o outro responderia, isso chega a ser ridículo e forçado demais para até ser imaginado. Se dessem asas às imaginações dos homens, poderia ser ainda por outros motivos mirabolantes.
O fato é que Deus escolheu o menor para ser o maior entre eles. No entanto esta escolha dobrada de José incluindo seus dois filhos na herança de Israel, contando agora entre os doze, não garantiu a José a escolha divina para ser dele a semente messiânica.
Assim é que os descendentes de José seriam contados a partir dos seus próximos filhos e não a partir de Efraim e Manassés porque ambos tomou Jacó como seus filhos, nascidos no Egito, filhos de uma egípcia, que era filha de sacerdotes egípcios.
Nada se fala nem se aprofunda a respeito dessa mulher de José, mas percebe-se no texto que José e ela viveram felizes até o final de suas vidas. José não era qualquer um no Egito, fazia parte de uma elite e era varão valoroso, bem assim Asenate, sua mulher.
Asenate, que significa ela pertence a [deusa] Neite, era filha de Potífera, aquela a quem Rá [o deus sol] deu, sacerdote de Om, que é um templo para adoração do sol. Este sacerdócio era um dos mais importantes no antigo Egito. Essa era a mulher de José, uma mulher estrangeira, mas não cananéia. Quem pode entender?
José então estaria recebendo a porção dobrada dos primogênitos, mas não seria dele que viria o Messias. Os planos de Deus eram outros. Foi de Judá que veio a semente messiânica, o que veremos mais a frente, na hora das bênçãos, no próximo capítulo.
José ao dispor seus filhos para receber as bênçãos tentou forçar de todo jeito que seu pai Jacó abençoasse primeiro Manassés, mesmo tentando manipular as mãos de seu pai, mas este dizia a José que estava ciente e que fazia sua escolha baseada no que Deus queria e assim foi o menor abençoado para ser maior.
Ele também fala a José das aparições de Deus a ele e das promessas que recebera que afeta toda aquela geração e José entendia que isso era plano de Deus e se esforçava, creio, por preservar e manter os registros de tudo. José era inteligente, bem instruído e conhecia a cultura egípcia, seus registros e fatos históricos.
Gn 48:1 E aconteceu, depois destas coisas,
que alguém disse a José:
Eis que teu pai está enfermo.
Então tomou consigo os seus dois filhos, Manassés e Efraim.
Gn 48:2 E alguém participou a Jacó, e disse:
Eis que José teu filho vem a ti.
E esforçou-se Israel,
e assentou-se sobre a cama.
Gn 48:3 E Jacó disse a José:
O Deus Todo-Poderoso me apareceu em Luz,
na terra de Canaã, e me abençoou.
Gn 48:4 E me disse:
Eis que te farei frutificar e multiplicar,
e tornar-te-ei uma multidão de povos
e darei esta terra à tua descendência depois de ti,
em possessão perpétua.
Gn 48:5 Agora, pois, os teus dois filhos,
que te nasceram na terra do Egito,
antes que eu viesse a ti no Egito, são meus:
Efraim e Manassés serão meus,
como Rúben e Simeão;
Gn 48:6 Mas a tua geração,
que gerarás depois deles, será tua;
segundo o nome de seus irmãos
serão chamados na sua herança.
Gn 48:7 Vindo, pois, eu de Padã,
morreu-me Raquel no caminho, na terra de Canaã,
havendo ainda pequena distância para chegar a Efrata;
e eu a sepultei ali, no caminho de Efrata,
que é Belém.
Gn 48:8 E Israel viu os filhos de José, e disse:
Quem são estes?
Gn 48:9 E José disse a seu pai:
Eles são meus filhos,
que Deus me tem dado aqui.
E ele disse:
Peço-te, trazemos aqui,
para que os abençoe.
Gn 48:10 Os olhos de Israel, porém,
estavam carregados de velhice,
já não podia ver;
e fê-los chegar a ele,
e beijou-os,
e abraçou-os.
Gn 48:11 E Israel disse a José:
Eu não cuidara ver o teu rosto;
e eis que Deus me fez ver também a tua descendência.
Gn 48:12 Então José os tirou dos joelhos de seu pai,
e inclinou-se à terra diante da sua face.
Gn 48:13 E tomou José a ambos,
a Efraim na sua mão direita, à esquerda de Israel,
e Manassés na sua mão esquerda, à direita de Israel,
e fê-los chegar a ele.
Gn 48:14 Mas Israel estendeu a sua mão direita
e a pôs sobre a cabeça de Efraim,
que era o menor,
e a sua esquerda
sobre a cabeça de Manassés,
dirigindo as suas mãos propositadamente,
não obstante Manassés ser o primogênito.
Gn 48:15 E abençoou a José, e disse:
O Deus, em cuja presença andaram os meus pais
Abraão e Isaque,
o Deus que me sustentou, desde que eu nasci até este dia;
Gn 48:16 O anjo que me livrou de todo o mal,
abençoe estes rapazes,
e seja chamado neles o meu nome,
e o nome de meus pais Abraão e Isaque,
e multipliquem-se como peixes,
em multidão, no meio da terra.
Gn 48:17 Vendo, pois, José que
seu pai punha a sua mão direita sobre a cabeça de Efraim,
foi mau aos seus olhos;
e tomou a mão de seu pai,
para a transpor de sobre a cabeça de Efraim
à cabeça de Manassés.
Gn 48:18 E José disse a seu pai:
Não assim, meu pai,
porque este é o primogênito;
põe a tua mão direita sobre a sua cabeça.
Gn 48:19 Mas seu pai recusou, e disse:
Eu o sei, meu filho, eu o sei;
também ele será um povo,
e também ele será grande;
contudo o seu irmão menor
será maior que ele,
e a sua descendência
será uma multidão de nações.
Gn 48:20 Assim os abençoou naquele dia, dizendo:
Em ti abençoará Israel, dizendo:
Deus te faça como a Efraim e como a Manassés.
E pôs a Efraim diante de Manassés.
Gn 48:21 Depois disse Israel a José:
Eis que eu morro,
mas Deus será convosco,
e vos fará tornar à terra de vossos pais.
Gn 48:22 E eu tenho dado a ti
um pedaço da terra a mais do que a teus irmãos,
que tomei com a minha espada
e com o meu arco,
da mão dos amorreus.

Jacó anuncia a sua morte próxima e todos se preparam para o grande momento de sua partida e José se esforçará ao máximo para fazer cumprir todas as vontades de seu pai que por 17 anos, mais ou menos, fora privado dele e agora, recebera mais 17 anos com ele no Egito.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.