domingo, 22 de setembro de 2013

Gênesis 47: 1-40 – JOSÉ UM EXCELENTE ADMINISTRADOR.

Aqui temos o encontro de Jacó com Faraó por intermédio de José que era o queridinho da nação egípcia e que assistia como o segundo em poder em toda a terra do Egito diante de Faraó que era o maioral de todos.
Nesse encontro veremos que Jacó abençoa a Faraó, se cumprindo a palavra de Deus que diz que nele serão benditas toas as nações da terra.
Também veremos a fome apertar cada vez mais obrigando inclusive o povo, primeiramente, a se desfazer de todas as suas coisas, bens e animais e, depois, até se vender como escravo para poder obter comida.
José aquele jovem curado interiormente que não guardava mágoas nem ressentimentos e que por isso celebrava a vida e era bem quisto por todos não se envergonhou ou quis esconder-se diante de todos, mas fez questão, com orgulho, de apresentar a Faraó tanto seu pai como alguns de seus irmãos e Jacó ali tinha seus 130 anos.
Realmente quero enfatizar a mente sadia daquele jovem que poderia ser tudo de ruim. Poderia ter escolhido o caminho da murmuração, da reclamação, do ódio, da vingança, do medo, da depressão, mas não, não se afundou no mar de nenhuma dessas porcarias.
Ele entendia, sim, que não era o governante das circunstâncias pela qual era exposto e obrigado a reagir, mas era, com certeza, o governante de sua mente e como tal ele iria escolher se confiaria em Deus e nele esperaria ou se entregaria a qualquer espírito que ali estivesse.
José resolveu na sua vida toda ter aquela mente sempre disposta a ser favorável, custe o que custar, ao reino de Deus e a sua justiça, por isso foi capaz de enfrentar o que enfrentou de forma firme, de cabeça erguida e ainda gerando vida por onde ele passasse, mesmo sendo dentro de uma terrível prisão.
Assim, ele estava com seu pai e seus irmãos e os apresenta a Faraó e todos se alegraram com ele e celebraram. Faraó logo pergunta qual o negócio deles e eles, previamente orientados por José, falam a verdade, que eram pastores que cuidavam de gado que para os Egípcios era abominação.
Eles pedem a terra de Gosén e a terra de Gosén é lhes dada para cuidarem. Também Faraó pede um favor a José para escolher dali homens capazes e corajosos para cuidar do gado dele também.
Na oportunidade, um fato incrível, a bênção de Jacó para Faraó. Isto, no mínimo, era um reconhecimento de que Jacó estava com o Deus verdadeiro que Faraó deveria buscar e adorar. Apesar de não concordar com a espiritualidade e religião egípcia, vemos o respeito e a tolerância que tinha José para com eles e seus sacerdotes e templo.
Todos, por causa da fome, procurarão José e este foi comprando tudo e todos para Faraó, em sinal enorme de obediência, humildade e reconhecimento de Deus soberano sobre tudo e todos. Ele somente não tocou nas terras dos sacerdotes dos egípcios, nem sobre eles pôs peso algum, mas cuidou deles por amor de Faraó.
Jacó tinha ficado longe de José cerca de uns 17 anos e agora, Deus lhe deu a chance de conviver com José mais 17 anos, antes de sua partida. Jacó tinha o sonho de não ser enterrado no Egito e José recebera esta incumbência de enterrá-lo, na hora certa, na terra de Canaã.
José enriqueceu o Egito e tornou Faraó cada vez mais poderoso. Isso sim que é um servo eficaz, eficiente, efetivo e, portanto, um excelente ecônomo – quatro ”E”. Quem dera fôssemos todos assim como José, excelentes administradores para a glória de Deus – I Co 10:31.
Gn 47:1 Então veio José e anunciou a Faraó, e disse:
Meu pai e os meus irmãos e as suas ovelhas, e as suas vacas,
com tudo o que têm, são vindos da terra de Canaã,
e eis que estão na terra de Gósen.
Gn 47:2 E tomou uma parte de seus irmãos,
a saber, cinco homens, e os pôs diante de Faraó.
Gn 47:3 Então disse Faraó a seus irmãos:
Qual é o vosso negócio?
E eles disseram a Faraó:
Teus servos são pastores de ovelhas,
tanto nós como nossos pais.
Gn 47:4 Disseram mais a Faraó:
Viemos para peregrinar nesta terra;
porque não há pasto para as ovelhas de teus servos,
porquanto a fome é grave na terra de Canaã;
agora, pois, rogamos-te
que teus servos habitem na terra de Gósen.
Gn 47:5 Então falou Faraó a José, dizendo:
Teu pai e teus irmãos vieram a ti;
Gn 47:6 A terra do Egito está diante de ti;
no melhor da terra faze habitar teu pai e teus irmãos;
habitem na terra de Gósen,
e se sabes que entre eles há homens valentes,
os porás por maiorais do gado,
sobre o que eu tenho.
Gn 47:7 E trouxe José a Jacó, seu pai,
e o apresentou a Faraó;
e Jacó abençoou a Faraó.
Gn 47:8 E Faraó disse a Jacó:
Quantos são os dias dos anos da tua vida?
Gn 47:9 E Jacó disse a Faraó:
Os dias dos anos das minhas peregrinações
são cento e trinta anos,
poucos e maus foram os dias dos anos da minha vida,
e não chegaram aos dias dos anos da vida de meus pais
nos dias das suas peregrinações.
Gn 47:10 E Jacó abençoou a Faraó,
e saiu da sua presença.
Gn 47:11 E José fez habitar a seu pai e seus irmãos
e deu-lhes possessão na terra do Egito,
no melhor da terra, na terra de Ramessés,
como Faraó ordenara.
Gn 47:12 E José sustentou de pão a seu pai,
seus irmãos e toda a casa de seu pai,
segundo as suas famílias.
Gn 47:13 E não havia pão em toda a terra,
porque a fome era muito grave;
de modo que a terra do Egito e a terra de Canaã
desfaleciam por causa da fome.
Gn 47:14 Então José recolheu
todo o dinheiro que se achou na terra do Egito,
e na terra de Canaã,
pelo trigo que compravam;
e José trouxe o dinheiro à casa de Faraó.
Gn 47:15 Acabando-se, pois,
o dinheiro da terra do Egito,
e da terra de Canaã,
vieram todos os egípcios a José, dizendo:
Dá-nos pão;
por que morreremos em tua presença?
porquanto o dinheiro nos falta.
Gn 47:16 E José disse:
Dai o vosso gado,
e eu vo-lo darei por vosso gado,
se falta o dinheiro.
Gn 47:17 Então trouxeram o seu gado a José;
e José deu-lhes pão
em troca de cavalos, e das ovelhas, e das vacas e dos jumentos;
e os sustentou de pão aquele ano por todo o seu gado.
Gn 47:18 E acabado aquele ano,
vieram a ele no segundo ano e disseram-lhe:
Não ocultaremos ao meu senhor que o dinheiro acabou;
e meu senhor possui os animais,
e nenhuma outra coisa nos ficou diante de meu senhor,
senão o nosso corpo e a nossa terra;
Gn 47:19 Por que morreremos diante dos teus olhos,
tanto nós como a nossa terra?
Compra-nos a nós
e a nossa terra por pão,
e nós e a nossa terra seremos servos de Faraó;
e dá-nos semente,
para que vivamos,
e não morramos,
e a terra não se desole.
Gn 47:20 Assim José
comprou toda a terra do Egito para Faraó,
porque os egípcios venderam cada um o seu campo,
porquanto a fome prevaleceu sobre eles;
e a terra ficou sendo de Faraó.
Gn 47:21 E, quanto ao povo,
fê-lo passar às cidades,
desde uma extremidade da terra do Egito até a outra extremidade.
Gn 47:22 Somente a terra dos sacerdotes
não a comprou,
porquanto os sacerdotes tinham porção de Faraó,
e eles comiam a sua porção que Faraó lhes tinha dado;
por isso não venderam a sua terra.
Gn 47:23 Então disse José ao povo:
Eis que hoje tenho comprado a vós e a vossa terra para Faraó;
eis aí tendes semente para vós,
para que semeeis a terra.
Gn 47:24 Há de ser, porém,
que das colheitas dareis o quinto a Faraó,
e as quatro partes serão vossas,
para semente do campo,
e para o vosso mantimento,
e dos que estão nas vossas casas,
e para que comam vossos filhos.
Gn 47:25 E disseram:
A vida nos tens dado;
achemos graça aos olhos de meu senhor,
e seremos servos de Faraó.
Gn 47:26 José, pois,
estabeleceu isto por estatuto,
até ao dia de hoje, sobre a terra do Egito,
que Faraó tirasse o quinto;
só a terra dos sacerdotes
não ficou sendo de Faraó.
Gn 47:27 Assim habitou Israel na terra do Egito,
na terra de Gósen,
e nela tomaram possessão,
e frutificaram,
e multiplicaram-se muito.
Gn 47:28 E Jacó viveu na terra do Egito
dezessete anos, de sorte que os dias de Jacó,
os anos da sua vida,
foram cento e quarenta e sete anos.
Gn 47:29 Chegando-se, pois, o tempo da morte de Israel,
chamou a José, seu filho, e disse-lhe:
Se agora tenho achado graça em teus olhos,
rogo-te que ponhas a tua mão debaixo da minha coxa,
e usa comigo de beneficência e verdade;
rogo-te que não me enterres no Egito,
Gn 47:30 Mas que eu jaza com os meus pais;
por isso me levarás do Egito
e me enterrarás na sepultura deles.
E ele disse:
Farei conforme a tua palavra.
Gn 47:31 E disse ele:
Jura-me.
E ele jurou-lhe;
e Israel inclinou-se sobre a cabeceira da cama.

O capítulo se encerra com o juramento de José a Jacó que iria enterrá-lo na terra de seus pais e não no Egito. O filho obediente está pronto a obedecer, mas antes de sua morte, veremos o próximo capítulo.
Como funcionava a mente de José?
Podemos ser como ele? Ou ele era mesmo especial e nós um ninguém? O mesmo Espírito que esteve na vida de José o capacitando, não seria o mesmo que está em nós, por meio de Cristo Jesus?
1.    José entendia que Deus é soberano supremo e governante ativo.
2.    José entendia que estamos nessa vida sujeito às circunstâncias.
3.    José entendia que não escolhemos quaisquer circunstâncias.
4.    José, mais do que ninguém, entendia que somos obrigados a reagir diante das circunstâncias.
Suas escolhas:
(1) Ele escolheu confiar plenamente em Deus. Essa foi sua primeira e principal escolha que fez com que todas as outras prosperassem.
(2) Ele escolheu nele se alegrar.
Ele não se afundou na depressão.
Ele escolheu gerar vida onde estivesse.
(3) Ele teve paciência e soube esperar o tempo certo das coisas, das circunstâncias.
(4) Ele soube se conter e não cair em tentações ou se distrair no caminho com ofertas que abreviariam seu sofrimento.
O ovo cuja casca é quebrada exteriormente, gera a morte do pintinho; mas se é rompida interiormente, dá origem a uma nova vida, pois nasce um novo pintinho.
(5) José não era especial por ser escolhido, mas foi especial por suas escolhas.
Se você quer ser especial, faça escolhas especiais.
Tenha uma DISMENFA ao RDJ.

(6) Finalmente, ele escolheu o amor e o perdão contra o ressentimento e o ódio.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.