quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Gênesis 29: 1-35 – JACÓ E RAQUEL.

Jacó começa sua peregrinação e chega a terra do povo do oriente e acaba parando junto a um poço onde havia uma pedra enorme que precisava ser removida para os animais beberem e depois fechada.
Na sua primeira sondagem, no caminho, pelo menos registrada, a sua pergunta encontrou uma resposta que ele gostaria de encontrar, somos de Harã. Ele encontrou de fato quem ele procurava, pois ali era o Senhor direcionando o seu caminho, como prometera.
Eu preciso registrar algo parecido, mas que ocorreu comigo tempos atrás, no dia do casamento de meu irmão João Carlos que foi ministrado por meu outro irmão, Pr. Teotínio Junior - já falecido e com o Senhor - que tem a ver com esse momento de Jacó.
Eu estava com minha família em Guarulhos/SP e a celebração e festa seria na Penha. Durante o dia foi aquela correria e em um determinado momento perguntei como iria chegar no endereço que me passaram e me instruíram de forma superficial.
Eu e minha esposa éramos padrinhos e havia outra família conosco de Ibitinga que também seriam padrinhos. Um carro ficaria para mim, para eu levar minha família e outro carro iria a família de Ibitinga. Eu estava muito preocupado porque não sabia ir de carro para o endereço.
Durante o dia consultei o Google e fiz o trajeto mental em minha mente, mas como faz mais de 20 anos que não morava mais em São Paulo, muita coisa mudou. Se eu pegasse uma rua errada, em determinado momento, poderia custar a nossa chegada no tempo certo no casamento. Eu não poderia, de forma alguma errar o caminho, mas não sabia o caminho.
Quando se aproximou a hora que cada um na correria começou a ir para o casamento, nós também já íamos sair. Resolvi dar uma olhadinha no convite e, pasmo, descobri que minha pesquisa e caminho traçado em minha mente se baseava num endereço errado, mas parecido com o do casamento. Fiquei, confesso, encafifado!
O pessoal que me seguiria me disse tranquilo. Esquenta não, Deusdete, vamos orar. Quando a gente sai de Ibitinga para algum lugar em São Paulo a gente nem sabe direito e quando paramos o carro para perguntar algum detalhe, descobrimos que o Senhor prosperou a nossa jornada e já chegamos no local. Vamos que o Senhor nos levará! Eu respondi amém! Vamos, então.
Todos arrumadinhos e prontos, subimos nos carros e eu iria conduzir todo mundo. De última hora, pequei meu Nokia N95, nem verifiquei nível de bateria e o usei como HotSpot, transmissor de WiFi, no APP JoikuSpot e conectei meu NoteBook e acessei o Google e coloquei meu filho Miguel para ir acessando o Google e nos orientando o caminho.
Fizemos nossas orações e saímos. Eu conduzindo um carro com minha família e ainda outro carro, com outra família nos seguindo, indo para o casamento de meu irmão sendo guiados pelo Google. Em silêncio eu me dizia que eu era louco e que isso tudo era loucura e o resultado poderia ser uma grande frustração.
Logo de cara, o caminho que segui, nada tinha a ver com o caminho que eu conhecia de 20 anos. Nunca havia ido para Penha por aquele caminho que agora estava indo. Meu Nokia não acabou a bateria, a conexão não falhou em momento algum, apesar de estarmos em movimento constante e o Google Maps ali sempre ativo.
Todos nós sabemos que os mapas são feitos por fotografia e refletem realidades que podem ter sido modificados com o tempo. Seria melhor eu ter me guiado por GPS e não por Google Maps. Entra aqui, vira ali, sobe aqui, entra na ponte tal, sai pela esquerda, entra num beco, vai por aquela rodovia e assim eu ia indo e orei ao Senhor.
Deus estou me sentindo como um cego que está dirigindo e não sabe para onde vai. Ajude-me! Não posso falhar. Socorre-me nesta hora. Aos que estavam comigo nada deixei transparecer de minha preocupação. Eu temia entrar em alguma rua errada e ai seria desastroso, um vexame e nem sei se chegaria mais a tempo.
Quando paramos o carro para fazermos nossa primeira pergunta, foi como Jacó perguntando de onde era aquele povo e se conheciam Harã e a família de Labão, seu tio, irmão de sua irmã. A resposta veio assim: - é aqui mesmo!
Não acreditei e glorifiquei ao Senhor com tanta alegria e gozo. Fomos os primeiros a chegarmos ao casamento! E aquele casamento foi muito especial. Que bênção!
O Senhor ainda falou comigo dizendo: - Filho, eu estou contigo, não temas. Busque-me em orações, pois não te faltará conexão entre mim e ti, nem orientação do rumo que deves tomar e quando tudo parecer estranho e não souberes nem para onde vais, tenha certeza de que estarei te guiando e te conduzindo para o encontro com o Noivo. Não te faltará também seguidores fieis e cheios de fé que estarão contigo na jornada. Um de seus filhos, Gabriel, estava em outro carro e eu te digo que ele conduzirá também outro rebanho e chegarão no mesmo lugar.
Meu Deus que experiência fantástica e divina. Deus muito obrigado! Mas voltando a Jacó, ele encontra aquele povo e entende que sua jornada foi bem sucedida. Em seguida, seus olhos vão encontrar-se com Raquel, por quem se apaixona de primeira vista.
Raquel era pastora de ovelhas! Linda, formosa e ali eles tem um pequeno encontro e ela fala dele a seu pai e todos entram em festa. Jacó começa a servir Labão que logo oferece a ele um salário e ele, de coração apaixonado, pede de salário a Raquel. Labão pensa e aceita logo e diz que somente depois de sete anos de serviço.
Os anos se passaram rápido e chegou a hora do sonho se realizar, mas Labão apronta com ele e dá em casamento a Lia e ele a possui. Ao despertar, vê que fora enganado e indignado procura Labão que a dá depois dos sete dias de festa e ele se une a ela e Labão lhe propõe que ainda o sirva por mais sete anos e ele atende Labão.
Lia fora desprezada e o Senhor olhou para ela e a fez fecunda e logo teve filhos e chegou aos quatro filhos. O último a sair de seu ventre é Judá, a semente messiânica. Deus escolheu Lia para ser a portadora da semente. Nossas escolhas e vontades são diferentes e se baseiam em aparências e no engano da formosura da carne e não no coração.
Gn 29:1 Então pôs-se Jacó a caminho
e foi à terra do povo do oriente;
Gn 29:2 E olhou,
e eis um poço no campo,
e eis três rebanhos de ovelhas que estavam deitados junto a ele;
porque daquele poço davam de beber aos rebanhos;
e havia uma grande pedra sobre a boca do poço.
Gn 29:3 E ajuntavam ali todos os rebanhos,
e removiam a pedra de sobre a boca do poço,
e davam de beber às ovelhas;
e tornavam a pôr a pedra sobre
a boca do poço, no seu lugar.
Gn 29:4 E disse-lhes Jacó:
Meus irmãos, donde sois?
E disseram:
Somos de Harã.
Gn 29:5 E ele lhes disse:
Conheceis a Labão, filho de Naor?
E disseram:
Conhecemos.
Gn 29:6 Disse-lhes mais:
Está ele bem?
E disseram:
Está bem,
e eis aqui Raquel sua filha,
que vem com as ovelhas.
Gn 29:7 E ele disse:
Eis que ainda é pleno dia,
não é tempo de ajuntar o gado;
dai de beber às ovelhas,
e ide apascentá-las.
Gn 29:8 E disseram:
Não podemos,
até que todos os rebanhos se ajuntem,
e removam a pedra de sobre a boca do poço,
para que demos de beber às ovelhas.
Gn 29:9 Estando ele ainda falando com eles,
veio Raquel com as ovelhas de seu pai;
porque ela era pastora.
Gn 29:10 E aconteceu que,
vendo Jacó a Raquel, filha de Labão, irmão de sua mãe,
e as ovelhas de Labão, irmão de sua mãe,
chegou Jacó,
e revolveu a pedra de sobre a boca do poço
e deu de beber às ovelhas de Labão, irmão de sua mãe.
Gn 29:11 E Jacó beijou a Raquel,
e levantou a sua voz e chorou.
Gn 29:12 E Jacó anunciou a Raquel
que era irmão de seu pai,
e que era filho de Rebeca;
então ela correu,
e o anunciou a seu pai.
Gn 29:13 E aconteceu que,
ouvindo Labão as novas de Jacó,
filho de sua irmã,
correu-lhe ao encontro,
e abraçou-o,
e beijou-o,
e levou-o à sua casa;
e ele contou a Labão todas estas coisas.
Gn 29:14 Então Labão disse-lhe:
Verdadeiramente és tu o meu osso e a minha carne.
E ficou com ele um mês inteiro.
Gn 29:15 Depois disse Labão a Jacó:
Porque tu és meu irmão,
hás de servir-me de graça?
Declara-me qual será o teu salário.
Gn 29:16 E Labão tinha duas filhas;
o nome da mais velha era Lia,
e o nome da menor Raquel.
Gn 29:17 Lia tinha olhos tenros,
mas Raquel
era de formoso semblante e formosa à vista.
Gn 29:18 E Jacó amava a Raquel, e disse:
Sete anos te servirei por Raquel,
tua filha menor.
Gn 29:19 Então disse Labão:
Melhor é que eu a dê a ti,
do que eu a dê a outro homem;
fica comigo.
Gn 29:20 Assim serviu Jacó sete anos por Raquel;
e estes lhe pareceram como poucos dias,
pelo muito que a amava.
Gn 29:21 E disse Jacó a Labão:
Dá-me minha mulher,
porque meus dias são cumpridos,
para que eu me case com ela.
Gn 29:22 Então reuniu Labão a todos os homens daquele lugar,
e fez um banquete.
Gn 29:23 E aconteceu, à tarde,
que tomou Lia, sua filha,
e trouxe-a a Jacó que a possuiu.
Gn 29:24 E Labão deu sua serva Zilpa a Lia,
sua filha, por serva.
Gn 29:25 E aconteceu que pela manhã,
viu que era Lia;
pelo que disse a Labão:
Por que me fizeste isso?
Não te tenho servido por Raquel?
Por que então me enganaste?
Gn 29:26 E disse Labão:
Não se faz assim no nosso lugar,
que a menor se dê antes da primogênita.
Gn 29:27 Cumpre a semana desta;
então te daremos também a outra,
pelo serviço que ainda outros sete anos comigo servires.
Gn 29:28 E Jacó fez assim,
e cumpriu a semana de Lia;
então lhe deu por mulher Raquel sua filha.
Gn 29:29 E Labão deu sua serva Bila
por serva a Raquel, sua filha.
Gn 29:30 E possuiu também a Raquel,
e amou também a Raquel
mais do que a Lia
e serviu com ele ainda outros sete anos.
Gn 29:31 Vendo, pois, o SENHOR
que Lia era desprezada,
abriu a sua madre;
porém Raquel era estéril.
Gn 29:32 E concebeu Lia,
e deu à luz um filho,
e chamou-o Rúben; pois disse:
Porque o SENHOR atendeu à minha aflição,
por isso agora me amará o meu marido.
Gn 29:33 E concebeu outra vez,
e deu à luz um filho, dizendo:
Porquanto o SENHOR ouviu que eu era desprezada,
e deu-me também este.
E chamou-o Simeão.
Gn 29:34 E concebeu outra vez,
e deu à luz um filho, dizendo:
Agora esta vez se unirá meu marido a mim,
porque três filhos lhe tenho dado.
Por isso chamou-o Levi.
Gn 29:35 E concebeu outra vez
e deu à luz um filho, dizendo:
Esta vez louvarei ao SENHOR.
Por isso chamou-o Judá;
e cessou de dar à luz.

Lia foi a escolhida de Deus pela qual veio a semente messiânica, Judá. Ela, Lia, era desprezada e não amada por Jacó que preferia Raquel por causa de sua formosura e beleza de corpo. No entanto, Deus a fez fecunda e lhe deu quatro filhos, sendo Judá, o herdeiro, o seu quarto filho. As escolhas de Deus não são como as nossas escolhas!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.