sábado, 10 de agosto de 2013

Gênesis 4: 1-26 – O PRIMEIRO ASSASSINATO.

Aqui estamos com o nascimento de Caim, primogênito, e Abel que veio depois. O verso primeiro fala que conheceu Adão a sua mulher e esta concebeu. Não creio ser aqui a origem do sexo, nem creio que o pecado original esteja relacionado à pratica sexual. Há quem pense que sim, mas eu não creio assim.
Primeiro que quando Deus criou, os criou macho e fêmea e lhes disse que crescessem e enchessem a terra e multiplicassem espalhando desta forma as suas sementes às suas imagens e semelhanças que eram obviamente à imagem e à semelhança de Deus. Obviamente que para isso teriam que ter relações sexuais.
Cada um deles se tornou em algo útil e abençoado, pois tanto o pastor de ovelhas como o lavrador da terra eram importantes e igualmente abençoados, mas Caim ofereceu do fruto da terra uma oferta ao Senhor e não do fruto da terra as suas primícias, ou os melhores frutos, ao passo que Abel ao Senhor lhe trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura, ou seja, das suas primícias.
A oferta de Caim foi feita sem fé e sem amor, mais por pura obrigação e interesse, ao passo que a oferta de Abel era boa, espontânea, por isso atentou Deus à oferta de Abel, mas não atentou para à de Caim. Resultado: inveja, orgulho, vaidade, e ódio em seu coração a ponto de querer matar seu próprio irmão.
Deus ainda o avisou e lhe disse que seu desejo seria contra ele, mas que a ele caberia resistir. Caim não resistiu ao desejo mal e sucumbiu matando seu irmão, manchando suas mãos de sangue, cometendo uma violência na terra, destruindo a imagem e a semelhança de Deus que Deus tinha permitido nascer.
Todo ato que cometemos contra nosso irmão feito à imagem e à semelhança de Deus é um ato ofensivo ao próprio Deus que o criou. A morte e a retirada da vida somente pertence ao Senhor e a mais ninguém. Quem comete aborto indiscriminadamente é assassino e quem ajuda a abortar é igualmente assassino e afrontador de Deus.
Depois de não ter se dominado, como disse Deus a ele que deveria se dominar, foi Caim depois de matar Abel, amaldiçoado e saiu da presença do Senhor com uma marca posta por Deus a fim de que não o ferisse qualquer um que o achasse.
Desde o início da profecia de Deus, a serpente foi avisada de que haveria um descendente da mulher que esmagaria a sua cabeça assim, Satanás vai perseguir cada filho da semente procurando matá-lo e, por consequência, foi com Abel, mas logo nasceu outro filho, Sete que gerou a Enos que a partir dai se começou a invocar ao Senhor.
Por um lado, uma geração abençoada e do Senhor e por outro lado, uma geração desviada e desinteressada de Deus. Temos então Lameque que mata duas pessoas por motivo frívolo e de sua própria boca sai a palavra no verso 24 que por sete vezes Caim será castigado; mas Lameque setenta vezes sete. Isto me faz lembrar de Jesus, o segundo Adão que falando aos seus discípulos diz quantas vezes devemos perdoar nosso irmão por dia: setenta vezes sete. Interessante!
Lameque foi o sétimo descendente de Adão (Adão, Caim, Enoque, Irade, Meujael, Metusael, Lameque) e, sendo ímpio e destruidor da família, deu origem à poligamia e ainda causou a morte de mais dois. Se compararmos com o sétimo descendente de Adão, do outro lado, Enoque, que ainda falaremos dele em Gn 5:24, veremos que ele não causou morte alguma, antes escapou dela!
Gn 4:1 E conheceu Adão a Eva, sua mulher,
e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse:
Alcancei do SENHOR um homem.
Gn 4:2 E deu à luz mais a seu irmão Abel;
e Abel foi pastor de ovelhas,
e Caim foi lavrador da terra.
Gn 4:3 E aconteceu ao cabo de dias
que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR.
Gn 4:4 E Abel também trouxe
dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura;
e atentou o SENHOR
para Abel e para a sua oferta.
Gn 4:5 Mas para Caim e para a sua oferta
não atentou.
E irou-se Caim fortemente,
e descaiu-lhe o semblante.
Gn 4:6 E o SENHOR disse a Caim:
Por que te iraste?
E por que descaiu o teu semblante?
Gn 4:7 Se bem fizeres,
não é certo que serás aceito?
E se não fizeres bem,
o pecado jaz à porta,
e sobre ti será o seu desejo,
mas sobre ele deves dominar.
Gn 4:8 E falou Caim com o seu irmão Abel;
e sucedeu que, estando eles no campo,
se levantou Caim contra o seu irmão Abel,
e o matou.
Gn 4:9 E disse o SENHOR a Caim:
Onde está Abel, teu irmão?
E ele disse:
Não sei;
sou eu guardador do meu irmão?
Gn 4:10 E disse Deus:
Que fizeste?
A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra.
Gn 4:11 E agora
maldito és tu desde a terra,
que abriu a sua boca para receber da tua mão
o sangue do teu irmão.
Gn 4:12 Quando lavrares a terra,
não te dará mais a sua força;
fugitivo e vagabundo serás na terra.
Gn 4:13 Então disse Caim ao SENHOR:
É maior a minha maldade
que a que possa ser perdoada.
Gn 4:14 Eis que hoje me lanças da face da terra,
e da tua face me esconderei;
e serei fugitivo
e vagabundo na terra,
e será que todo aquele que me achar,
me matará.
Gn 4:15 O SENHOR, porém, disse-lhe:
Portanto qualquer que matar a Caim,
sete vezes será castigado.
E pôs o SENHOR um sinal em Caim,
para que o não ferisse qualquer que o achasse.
Gn 4:16 E saiu Caim
de diante da face do SENHOR,
e habitou na terra de Node,
do lado oriental do Éden.
Gn 4:17 E conheceu Caim a sua mulher,
e ela concebeu,
e deu à luz a Enoque;
e ele edificou uma cidade,
e chamou o nome da cidade
conforme o nome de seu filho Enoque;
Gn 4:18 E a Enoque nasceu Irade,
e Irade gerou a Meujael,
e Meujael gerou a Metusael
e Metusael gerou a Lameque.
Gn 4:19 E tomou Lameque para si duas mulheres;
o nome de uma era Ada,
e o nome da outra, Zilá.
Gn 4:20 E Ada deu à luz a Jabal;
este foi o pai dos que habitam em tendas e têm gado.
Gn 4:21 E o nome do seu irmão era Jubal;
este foi o pai de todos os que tocam harpa e órgão.
Gn 4:22 E Zilá também deu à luz a Tubalcaim,
mestre de toda a obra de cobre e ferro;
e a irmã de Tubalcaim foi Noema.
Gn 4:23 E disse Lameque a suas mulheres Ada e Zilá:
Ouvi a minha voz;
vós, mulheres de Lameque,
escutai as minhas palavras;
porque eu matei um homem por me ferir,
e um jovem por me pisar.
Gn 4:24 Porque sete vezes Caim será castigado;
mas Lameque setenta vezes sete.
Gn 4:25 E tornou Adão a conhecer a sua mulher;
e ela deu à luz um filho,
e chamou o seu nome Sete;
porque, disse ela,
Deus me deu outro filho em lugar de Abel;
porquanto Caim o matou.
Gn 4:26 E a Sete também nasceu um filho;
e chamou o seu nome Enos;
então se começou a invocar o nome do SENHOR.

Com o nascimento de Sete cujo significado é “concedeu”, entendeu Eva que Deus estaria dando continuidade à família da aliança apesar da morte e do sofrimento. Ai, então, a família da aliança, ao fazer a sua petição e louvor, ao adorar e a buscar a Deus e a invocar o seu nome, iria glorificar a Deus e não ao ser humano como estava fazendo a descendência fugitiva de Deus – vs 17. 
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.