quinta-feira, 11 de abril de 2013

Salmo 84: 1-12 - SAUDADES DO TEMPLO

Um pequeno, mas grande salmo de Davi, no entanto, sendo proclamado pelos filhos de Corá que apresenta a Deus a sua oração na qual podemos tomar por modelo, principalmente pela abordagem que faz em sua introdução antes mesmo de fazer o seu pedido.
Todos nós sabemos, por exemplo, que uma boa abordagem pode nos conduzir ao êxito em nosso empreendimento e uma abordagem relaxada pode nos trazer problemas. Até o ímpio quando vai realizar o seu assalto ele precisa de saber abordar a sua vítima. Ele não assalta a pessoa do outro lado da rua anunciando o assalto, antes, ela procura por oportunidade para bem se aproximar e quando se sente seguro anuncia seu assalto.
Este salmista nos dá exemplo de uma excelente abordagem. Primeiro, ele se aproxima de Deus o exaltando, o adorando e mostrando seu coração desejoso de Deus, mais desejoso do que Deus pode fazer por ele. Seu exemplo das andorinhas e do pardal refletem qual deve ser o propósito do homem pelo qual Deus o criou.
Deus nos criou para estarmos diante dele em adoração! Por isso que o homem encontra sua segurança, abrigo, conforto somente nos átrios do Senhor. Isso é muito profundo. Longe do Senhor, seremos como esses pássaros do exemplo, longe de seus ninhos, perdidos e abandonados, podendo ser tragados pelos predadores naturais.
Nós também temos um predador que tem interesse em acabar com a nossa imagem e semelhança de Deus, Satanás, a antiga serpente, o diabo. Ele está ávido por acabar conosco. Antes, ele perseguia a semente para evitar que ela nascesse e cumprisse a profecia de Deus de que ela esmagaria a sua cabeça. Agora, ele faz guerra aos santos procurando devorar os filhos da mulher.
Depois de falar de duas bem aventuranças destinadas aos que habitam na casa de Deus e tem nele a sua força, ai sim, que ele apresenta sua oração, seu pedido para que Deus escute sua oração: olha, Deus e contempla o rosto do teu ungido. Contempla também meu rosto Senhor e permita que eu não saia de seus átrios perpetuamente.
Calvino contextualiza e dá maiores detalhes sobre o salmo.
O salmista reclama que nada lhe provocou uma fonte de maior sofrimento do que o impedimento de chegar ao tabernáculo, e que ele foi banido da assembléia dos santos, onde Deus foi chamado. E, no entanto, ele mostra que nada pode resistir aos anseios dos piedosos; e, superando todos os obstáculos, estarão constantemente envolvidos na busca de Deus e, por assim dizer, farão um caminho para eles mesmos, onde não há nenhum. Por fim, ele expressa seu desejo de ser restaurado no tabernáculo de Deus, e novamente testifica que um dia passado no tabernáculo era mais estimado para ser estimado do que viver por um longo tempo na sociedade de incrédulos.
Para o músico-chefe da Gittith. Um salmo de [454] os filhos de Corá. [455]
O título deste salmo não tem o nome de Davi; mas, como seu objeto é aplicável a ele, ele provavelmente foi seu autor. Alguns pensam que foi composto pelos filhos de Corá, para seu uso particular; mas para provar a falta de fundamento desta opinião, só é necessário advertir a essa consideração, que Davi, em seu tempo, se distinguiu tão eminentemente pelo dom da profecia quanto a não ser necessário empregar os levitas para realizar um serviço para o qual ele próprio estava tão bem qualificado. A única dificuldade para atribuí-lo a Davi é que a menção é feita do monte Sião, a que a arca da aliança não foi levada até que ele tenha sido posto em paz pelo reino. Como depois disso, ele nunca foi privado da liberdade de aparecer antes da arca com os outros, exceto uma vez, e depois só por um curto período de tempo; ou seja, quando ele estava sob a necessidade de fazer-se fugir por causa da rebelião levantada contra ele por seu filho Absalão. O conteúdo do salmo, no entanto, indica que, no momento da sua composição, ele tinha sido obrigado a vagar por muito tempo em diferentes lugares como um exílio. Se refletimos que Davi registrou nos salmos as perseguições que ele suportou sob Saul muito depois que ele foi libertado deles, não nos surpreenderemos ao encontrá-lo fazendo menção de Sião em conexão com eles. Da palavra Gittith, já falei no oitavo salmo.
Sl 84:1 Quão amáveis são os teus tabernáculos,
SENHOR dos Exércitos!
Sl 84:2 A minha alma suspira
e desfalece pelos átrios do SENHOR;
o meu coração e a minha carne
exultam pelo Deus vivo!
Sl 84:3 O pardal
encontrou casa,
e a andorinha,
ninho para si, onde acolha os seus filhotes;
eu,
os teus altares, SENHOR dos Exércitos,
Rei meu
e Deus meu!
Sl 84:4 Bem-aventurados
os que habitam em tua casa;
louvam-te perpetuamente.
Sl 84:5 Bem-aventurado
o homem cuja força está em ti,
em cujo coração se encontram os caminhos aplanados,
Sl 84:6 o qual,
passando pelo vale árido,
faz dele um manancial;
de bênçãos
o cobre a primeira chuva.
Sl 84:7 Vão indo
de força em força;
cada um deles aparece diante de Deus em Sião.
Sl 84:8 SENHOR, Deus dos Exércitos,
escuta-me a oração;
presta ouvidos,
ó Deus de Jacó!
Sl 84:9 Olha,
ó Deus, escudo nosso,
e contempla o rosto do teu ungido.
Sl 84:10 Pois um dia nos teus átrios
vale mais que mil;
prefiro estar à porta da casa do meu Deus,
a permanecer nas tendas da perversidade.
Sl 84:11 Porque o SENHOR Deus
é sol e escudo;
o SENHOR
dá graça e glória;
nenhum bem sonega
aos que andam retamente.
Sl 84:12 Ó SENHOR dos Exércitos,
feliz o homem que em ti confia.

Você tem falta de algum bem? A palavra de Deus diz que Deus não sonega bem algum aos que andam retamente e além disso dá de sua graça e glória, sendo dos seus um grande escudo. A estes que assim confiam em Deus, a Escritura diz, neste salmo 84, que são felizes. Deus é tremendo!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete
http://www.jamaisdesista.com.br

...


Reações:

2 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.