domingo, 31 de março de 2013

Salmo 73: 1-28 segmentado


Hoje comemoramos o dia da páscoa! Jesus Cristo ressuscitou dos mortos!
E se o Senhor não tivesse ressuscitado dos mortos, o que seria de nós? Certamente, continuaríamos mortos em nossos pecados e delitos.
"Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão?" O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, mantenhamos firmes nossa confissão. Sejamos sempre dedicados à obra do Senhor, pois sabemos que, no Senhor, nosso trabalho não será inútil. 1 Coríntios 15:55-58.
Voltando ao salmo de Asafe: Muitíssimo interessante este salmo que fala da prosperidade do ímpio e que isso incomodava o salmista por que não via razão em ser crente até que entrou no santuário de Deus e se atinou com o fim deles e com o seu fim e ai compreendeu que Deus os mantêm em lugares escorregadios prontos para descerem à cova.
Já Calvino não tem certeza do autor deste salmo e chega a conjecturar que possa ter sido feito por Davi. De fato, o autor do salmo começa exaltando a justiça e a bondade de Deus, mas em seguida, ele confessa que, quando viu o ímpio ser abundante em riqueza e viver na satisfação de todos os tipos de prazer, sim, inclusive com desdém e zombando de Deus, e, pior ainda, cruelmente assediando os justos enquanto os justos estavam sendo oprimidos com problemas e calamidades como se Deus não se importasse, ele estaria a ponto de abandonar a Deus, sua crença e seu temor a Deus.
No entanto, o salmista entra no santuário e tudo lhe é esclarecido e ele ve o fim de ambos, do jutso e do ímpio. Assim, ele conclui que, desde que deixamos a providência de Deus para tomar nosso próprio caminho, o caminho que ele determinou em seu propósito secreto, no final, as coisas irão assumir um aspecto muito diferente, e será visto que, por um lado, os justos não serão defraudados de sua recompensa, e que, por outro lado, os maus não escaparão da mão do justo juiz.
David, or whoever may have been the author of this psalm, contending as it were against the judgment of carnal sense and reason, begins by extolling the righteousness and goodness of God. He next confesses that when he saw the wicked abounding in wealth, and living in the indulgence of every kind of pleasure, yea, even scornfully mocking God, and cruelly harassing the righteous, and that when he saw, on the other hand, how in proportion to the care with which any studied to practice uprightness, was the degree in which they were weighed down by troubles and calamities, and that in general all the children of God were pining away, and oppressed with cares and sorrows, while God, as if sitting in heaven idle and unconcerned, did not interfere to remedy such a disordered state of matters; it gave him so severe a shock, as almost to dispose him to cast off all concern about religion and all fear of God. In the third place, he reproves his own folly in proceeding rashly and hastily to pronounce judgment, merely from a view of the present state of things, and shows the necessity of exercising patience, that our faith may not fail under these troubles and disquietudes. At last he concludes that, provided we leave the providence of God to take its own course, in the way which he has determined in his secret purpose, [148] in the end, matters will assume a very different aspect, and it will be seen, that, on the one hand, the righteous are not defrauded of their reward, and that, on the other, the wicked do not escape the hand of the judge.
A Psalm of Asaph.
Sl 73:1 Com efeito,
Deus é bom para com Israel,
para com os de coração limpo.
Sl 73:2 Quanto a mim,
porém,
quase me resvalaram os pés;
pouco faltou para que se desviassem os meus passos.
Sl 73:3 Pois eu invejava os arrogantes,
ao ver a prosperidade dos perversos.
Sl 73:4 Para eles não há preocupações,
o seu corpo é sadio e nédio.
Sl 73:5 Não partilham das canseiras dos mortais,
nem são afligidos como os outros homens.
Sl 73:6 Daí, a soberba
que os cinge como um colar,
e a violência
que os envolve como manto.
Sl 73:7 Os olhos saltam-lhes da gordura;
do coração brotam-lhes fantasias.
Sl 73:8 Motejam
e falam maliciosamente;
da opressão
falam com altivez.
Sl 73:9 Contra os céus desandam a boca,
e a sua língua percorre a terra.
Sl 73:10 Por isso,
o seu povo se volta para eles
e os tem por fonte de que bebe a largos sorvos.
Sl 73:11 E diz:
Como sabe Deus?
Acaso, há conhecimento no Altíssimo?
Sl 73:12 Eis que são estes os ímpios;
e, sempre tranqüilos,
aumentam suas riquezas.
Sl 73:13 Com efeito,
inutilmente conservei puro o coração
e lavei as mãos na inocência.
Sl 73:14 Pois de contínuo
sou afligido
e cada manhã, castigado.
Sl 73:15 Se eu pensara em falar tais palavras,
já aí teria traído a geração de teus filhos.
Sl 73:16 Em só refletir
para compreender isso,
achei mui pesada tarefa para mim;
Sl 73:17 até que entrei no santuário de Deus
e atinei com o fim deles.
Sl 73:18 Tu certamente os pões
em lugares escorregadios
e os fazes
cair na destruição.
Sl 73:19 Como ficam de súbito assolados,
totalmente aniquilados de terror!
Sl 73:20 Como ao sonho, quando se acorda,
assim, ó Senhor, ao despertares,
desprezarás a imagem deles.
Sl 73:21 Quando o coração se me amargou
e as entranhas se me comoveram,
Sl 73:22 eu estava embrutecido e ignorante;
era como um irracional à tua presença.
Sl 73:23 Todavia, estou sempre contigo,
tu me seguras pela minha mão direita.
Sl 73:24 Tu me guias com o teu conselho
e depois me recebes na glória.
Sl 73:25 Quem mais tenho eu no céu?
Não há outro em quem eu me compraza na terra.
Sl 73:26 Ainda que a minha carne
e o meu coração desfaleçam,
Deus é a fortaleza do meu coração
e a minha herança para sempre.
Sl 73:27 Os que se afastam de ti,
eis que perecem;
tu destróis todos os que são infiéis para contigo.
Sl 73:28 Quanto a mim,
bom é estar junto a Deus;
no SENHOR Deus
ponho o meu refúgio,
para proclamar todos os seus feitos.
O salmo termina com a palavra final de esperança, de vitórias e de alegria diante de Deus que há de julgar os mortos e os vivos. Aqueles que morreram com Cristo, já não mais morrerão por que a morte foi tragada na morte de Cristo sendo a sua ressurreição a prova de que venceu a morte e de que por isso também venceremos. A Deus toda a glória hoje e sempre!
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 28 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10). (hoje: 31/03/2013) e 438 dias para a Copa, sem álcool nos estádios....
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.