quarta-feira, 27 de março de 2013

Salmo 69: 1-36 segmentado


Salmo de Davi em que ele primeiro está a enfrentar um inimigo cruel e injusto que arma armadilhas para o justo cair e que não tem temor a Deus, antes somente querem arruinar o justo e trazer a ele injustiças. Davi chega a dizer o quão poderosos são os que o querem destruir e o que os impediria se não somente a graça bendita de Deus?
Os homens violentos são assim mesmo e não tem temor de Deus em seus olhos. Acham que podem tudo e ferem o justo. A perseguição que Davi sofria era grande e ela foi aplicada pelo Espírito Santo ao Messias, àquele que haveria de vir, conforme fosse a semente messiânica que sairia ali de Davi até chegar em José, pai adotivo de Jesus.
Davi não se justifica diante de Deus, mas confessa a sua culpa e admite o quão é tolo, estulto e culpado, mas clama a Deus que o livre apesar dele. Por amor àqueles que Deus lhe tem confiado, ele intercede e pede a graça abundante de Deus. Em seguida à sua confissão, ele começa a declarar suas palavras em oração, crendo que Deus o ouve e que o livrará pela sua graça.
Sem dúvida um salmo bom de se meditar e orar, principalmente por quem está enfrentando problemas com pessoas inescrupulosas que estão querendo tirar proveito da nossa boa fé em Deus.
Abaixo, o comentário de Calvino deste salmo messiânico, mas somente a sua introdução. Ele faz uma associação entre este salmo o e o salmo 22.
There is a close resemblance between this psalm and the twenty-second. In the opening verses, David complains of the barbarous cruelty of his enemies, and of the grievous wrongs which they had inflicted upon him. [63] But his mind, he affirms, was not hereby reduced to such a state of distress as to prevent him from patiently relying on the protection of God, or to discourage him from continuing in the undeviating course of a holy and an upright life. He rather testifies that his piety, and the courage and activity which he had manifested in maintaining the interests of the divine glory, were the cause of the hostility borne to him by the generality of men. After having again complained of being not less shamefully than cruelly oppressed by his enemies, he invokes God to visit them with deserved punishment. In the close, exulting as if he had obtained his highest wishes, he engages to yield to God a solemn sacrifice of praise.
To the chief musician upon Shoshannim of David.
We have already spoken elsewhere of the word Shoshannim. Its proper meaning is uncertain and obscure; but the most probable conjecture is, that it was the commencement of some song. If, however, any would prefer considering it as the name of some musical instrument, I have no objections. But the opinion held by some that this psalm was composed at the season of spring, when the lilies begin to blossom, is altogether unfounded and frivolous. [64] Before proceeding farther, we would have you to observe that David wrote this inspired ode not so much in his own name, as in the name of the whole Church, of whose Head he was an eminent type, as will be more dearly brought out in the sequel. This is highly worthy of our notice, that from this consideration we may be led to contemplate with the greater attention the representation which is here given of the common condition of all the people of God. Besides, it is highly probable that David did not here comprehend only one kind of persecution, but all the evils which he had suffered during the course of many years.
Sl 69:1 Salva-me,
ó Deus,
porque as águas me sobem até à alma.
Sl 69:2 Estou atolado em profundo lamaçal,
que não dá pé;
estou nas profundezas das águas,
e a corrente me submerge.
Sl 69:3 Estou cansado de clamar,
secou-se-me a garganta;
os meus olhos desfalecem de tanto esperar por meu Deus.
Sl 69:4 São mais que os cabelos de minha cabeça
os que, sem razão, me odeiam;
são poderosos os meus destruidores,
os que com falsos motivos são meus inimigos;
por isso, tenho de restituir o que não furtei.
Sl 69:5 Tu, ó Deus,
bem conheces a minha estultice,
e as minhas culpas não te são ocultas.
Sl 69:6 Não sejam envergonhados por minha causa
os que esperam em ti, ó SENHOR, Deus dos Exércitos;
nem por minha causa
sofram vexame os que te buscam, ó Deus de Israel.
Sl 69:7 Pois tenho suportado afrontas por amor de ti,
e o rosto se me encobre de vexame.
Sl 69:8 Tornei-me estranho
a meus irmãos
e desconhecido
aos filhos de minha mãe.
Sl 69:9 Pois o zelo da tua casa me consumiu,
e as injúrias dos que te ultrajam caem sobre mim.
Sl 69:10 Chorei,
em jejum está a minha alma,
e isso mesmo se me tornou em afrontas.
Sl 69:11 Pus um pano de saco por veste
e me tornei objeto de escárnio para eles.
Sl 69:12 Tagarelam sobre mim
os que à porta se assentam,
e sou motivo para cantigas de beberrões.
Sl 69:13 Quanto a mim,
porém, SENHOR,
faço a ti,
em tempo favorável,
a minha oração.
Responde-me, ó Deus,
pela riqueza da tua graça;
pela tua fidelidade em socorrer,
Sl 69:14 livra-me do tremedal,
para que não me afunde;
seja eu salvo dos que me odeiam
e das profundezas das águas.
Sl 69:15 Não me arraste a corrente das águas,
nem me trague a voragem,
nem se feche sobre mim a boca do poço.
Sl 69:16 Responde-me, SENHOR,
pois compassiva é a tua graça;
volta-te para mim
segundo a riqueza das tuas misericórdias.
Sl 69:17 Não escondas o rosto ao teu servo,
pois estou atribulado;
responde-me
depressa.
Sl 69:18 Aproxima-te de minha alma
e redime-a;
resgata-me
por causa dos meus inimigos.
Sl 69:19 Tu conheces
a minha afronta,
a minha vergonha
e o meu vexame;
todos os meus adversários estão à tua vista.
Sl 69:20 O opróbrio
partiu-me o coração,
e desfaleci;
esperei por piedade,
mas debalde;
por consoladores,
e não os achei.
Sl 69:21 Por alimento
me deram fel
e na minha sede me
deram a beber vinagre.
Sl 69:22 Sua mesa
torne-se-lhes diante deles em laço,
e a prosperidade,
em armadilha.
Sl 69:23 Obscureçam-se-lhes os olhos,
para que não vejam;
e faze que sempre lhes vacile o dorso.
Sl 69:24 Derrama sobre eles a tua indignação,
e que o ardor da tua ira os alcance.
Sl 69:25 Fique deserta a sua morada,
e não haja quem habite as suas tendas.
Sl 69:26 Pois perseguem a quem tu feriste
e acrescentam dores àquele a quem golpeaste.
Sl 69:27 Soma-lhes iniqüidade à iniqüidade,
e não gozem da tua absolvição.
Sl 69:28 Sejam riscados do Livro dos Vivos
e não tenham registro com os justos.
Sl 69:29 Quanto a mim,
porém,
amargurado e aflito,
ponha-me o teu socorro,
ó Deus,
em alto refúgio.
Sl 69:30 Louvarei com cânticos o nome de Deus,
exaltá-lo-ei com ações de graças.
Sl 69:31 Será isso muito mais agradável ao SENHOR
do que um boi ou um novilho com chifres e unhas.
Sl 69:32 Vejam isso os aflitos
e se alegrem;
quanto a vós outros
que buscais a Deus,
que o vosso coração reviva.
Sl 69:33 Porque o SENHOR
responde aos necessitados
e não despreza os seus prisioneiros.
Sl 69:34 Louvem-no
os céus e a terra,
os mares
e tudo quanto neles se move.
Sl 69:35 Porque Deus salvará Sião
e edificará as cidades de Judá,
e ali habitarão
e hão de possuí-la.
Sl 69:36 Também a descendência dos seus servos
a herdará,
e os que lhe amam o nome
nela habitarão.
Aqui já no final do salmo aquela palavra de esperança aos que buscam o Senhor para que os seus corações revivam uma vez que o Senhor responde aos necessitados e não despreza os seus prisioneiros. Assim, neste meu momento particular de luta eu tenho certeza de que Deus me ouve e me responde.
Eu não irei clamar para Deus falar comigo, não! Eu irei clamar para Deus abrir meus ouvidos para ouvir a sua voz que já está falando e me instruindo em tudo. Dá-nos ouvidos, Senhor, para ouvirmos a sua voz em meio aos vozes das tempestades que nos querem sufocar.
p.s.: link da imagem original:
Contagem regressiva: Faltam 32 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10). (hoje: 27/03/2013) e 442 dias para a Copa, sem álcool nos estádios....
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.