quarta-feira, 27 de março de 2013

Salmo 69: 1-36 - O LAMENTO DO MESSIAS

Salmo de Davi em que ele primeiro está a enfrentar um inimigo cruel e injusto que arma armadilhas para o justo cair e que não tem temor a Deus, antes somente quer arruinar o justo e trazer a ele injustiças. Davi chega a dizer o quão poderosos são os que o querem destruir e o que os impediria se não somente a graça bendita de Deus?
Os homens violentos são assim mesmo e não tem temor de Deus em seus olhos. Acham que podem tudo e ferem o justo. A perseguição que Davi sofria era grande e ela foi aplicada pelo Espírito Santo ao Messias, àquele que haveria de vir, conforme fosse a semente messiânica que sairia ali de Davi até chegar em José, pai adotivo de Jesus.
Davi não se justifica diante de Deus, mas confessa a sua culpa e admite o quão é tolo, estulto e culpado, mas clama a Deus que o livre apesar dele. Por amor àqueles que Deus lhe tem confiado, ele intercede e pede a graça abundante de Deus. Em seguida à sua confissão, ele começa a declarar suas palavras em oração, crendo que Deus o ouve e que o livrará pela sua graça.
Sem dúvida um salmo bom de se meditar e orar, principalmente por quem está enfrentando problemas com pessoas inescrupulosas que estão querendo tirar proveito da nossa boa fé em Deus.
Abaixo, o comentário de Calvino deste salmo messiânico, mas somente a sua introdução. Ele faz uma associação entre este salmo o e o salmo 22.
Existe uma estreita semelhança entre este salmo e o vigésimo segundo. Nos versículos iniciais, Davi se queixa da crueldade bárbara de seus inimigos e dos erros penosos que lhe causaram. Mas a sua mente, afirma ele, não foi reduzida a tal estado de angústia para impedir que ele confia pacientemente na proteção de Deus, ou para desencorajá-lo de continuar no curso incondicional de uma vida santa e reta . Ele prefere testemunhar que sua piedade e a coragem e atividade que ele manifestou na manutenção dos interesses da glória divina foram a causa da hostilidade que ele assumiu pela generalidade dos homens. Depois de voltar a reclamar de não ser menos vergonhosamente do que cruelmente oprimido por seus inimigos, ele invoca Deus para visitá-los com merecido castigo. Ao fim, exultante como se ele tivesse obtido seus desejos mais elevados, ele se compromete a conceder a Deus um sacrifício solene de louvor.
Ao músico-chefe de Shoshannim de David.
Já falamos em outro lugar da palavra Shoshannim. Seu significado apropriado é incerto e obscuro; mas a conjetura mais provável é que foi o início de alguma música. Se, no entanto, qualquer um preferiria considerá-lo como o nome de algum instrumento musical, não tenho objeções. Mas a opinião de alguns que este salmo foi composto na estação da primavera, quando os lírios começam a florescer, é totalmente infundado e frívolo. Antes de prosseguir, teremos que observar que Davi escreveu esta oda inspirada não tanto em seu próprio nome, como em nome de toda a Igreja, de cuja cabeça ele era um tipo eminente, como será mais caro trazido na sequência. Isto é altamente digno de nosso aviso, de que, a partir desta consideração, podemos levar a contemplar com maior atenção a representação que é dada aqui da condição comum de todo o povo de Deus. Além disso, é altamente provável que Davi não compreendeu aqui apenas um tipo de perseguição, mas todos os males que ele sofreu ao longo de muitos anos.
Sl 69:1 Salva-me,
ó Deus,
porque as águas me sobem até à alma.
Sl 69:2 Estou atolado em profundo lamaçal,
que não dá pé;
estou nas profundezas das águas,
e a corrente me submerge.
Sl 69:3 Estou cansado de clamar,
secou-se-me a garganta;
os meus olhos desfalecem de tanto esperar por meu Deus.
Sl 69:4 São mais que os cabelos de minha cabeça
os que, sem razão, me odeiam;
são poderosos os meus destruidores,
os que com falsos motivos são meus inimigos;
por isso, tenho de restituir o que não furtei.
Sl 69:5 Tu, ó Deus,
bem conheces a minha estultice,
e as minhas culpas não te são ocultas.
Sl 69:6 Não sejam envergonhados por minha causa
os que esperam em ti, ó SENHOR, Deus dos Exércitos;
nem por minha causa
sofram vexame os que te buscam, ó Deus de Israel.
Sl 69:7 Pois tenho suportado afrontas por amor de ti,
e o rosto se me encobre de vexame.
Sl 69:8 Tornei-me estranho
a meus irmãos
e desconhecido
aos filhos de minha mãe.
Sl 69:9 Pois o zelo da tua casa me consumiu,
e as injúrias dos que te ultrajam caem sobre mim.
Sl 69:10 Chorei,
em jejum está a minha alma,
e isso mesmo se me tornou em afrontas.
Sl 69:11 Pus um pano de saco por veste
e me tornei objeto de escárnio para eles.
Sl 69:12 Tagarelam sobre mim
os que à porta se assentam,
e sou motivo para cantigas de beberrões.
Sl 69:13 Quanto a mim,
porém, SENHOR,
faço a ti,
em tempo favorável,
a minha oração.
Responde-me, ó Deus,
pela riqueza da tua graça;
pela tua fidelidade em socorrer,
Sl 69:14 livra-me do tremedal,
para que não me afunde;
seja eu salvo dos que me odeiam
e das profundezas das águas.
Sl 69:15 Não me arraste a corrente das águas,
nem me trague a voragem,
nem se feche sobre mim a boca do poço.
Sl 69:16 Responde-me, SENHOR,
pois compassiva é a tua graça;
volta-te para mim
segundo a riqueza das tuas misericórdias.
Sl 69:17 Não escondas o rosto ao teu servo,
pois estou atribulado;
responde-me
depressa.
Sl 69:18 Aproxima-te de minha alma
e redime-a;
resgata-me
por causa dos meus inimigos.
Sl 69:19 Tu conheces
a minha afronta,
a minha vergonha
e o meu vexame;
todos os meus adversários estão à tua vista.
Sl 69:20 O opróbrio
partiu-me o coração,
e desfaleci;
esperei por piedade,
mas debalde;
por consoladores,
e não os achei.
Sl 69:21 Por alimento
me deram fel
e na minha sede me
deram a beber vinagre.
Sl 69:22 Sua mesa
torne-se-lhes diante deles em laço,
e a prosperidade,
em armadilha.
Sl 69:23 Obscureçam-se-lhes os olhos,
para que não vejam;
e faze que sempre lhes vacile o dorso.
Sl 69:24 Derrama sobre eles a tua indignação,
e que o ardor da tua ira os alcance.
Sl 69:25 Fique deserta a sua morada,
e não haja quem habite as suas tendas.
Sl 69:26 Pois perseguem a quem tu feriste
e acrescentam dores àquele a quem golpeaste.
Sl 69:27 Soma-lhes iniquidade à iniquidade,
e não gozem da tua absolvição.
Sl 69:28 Sejam riscados do Livro dos Vivos
e não tenham registro com os justos.
Sl 69:29 Quanto a mim,
porém,
amargurado e aflito,
ponha-me o teu socorro,
ó Deus,
em alto refúgio.
Sl 69:30 Louvarei com cânticos o nome de Deus,
exaltá-lo-ei com ações de graças.
Sl 69:31 Será isso muito mais agradável ao SENHOR
do que um boi ou um novilho com chifres e unhas.
Sl 69:32 Vejam isso os aflitos
e se alegrem;
quanto a vós outros
que buscais a Deus,
que o vosso coração reviva.
Sl 69:33 Porque o SENHOR
responde aos necessitados
e não despreza os seus prisioneiros.
Sl 69:34 Louvem-no
os céus e a terra,
os mares
e tudo quanto neles se move.
Sl 69:35 Porque Deus salvará Sião
e edificará as cidades de Judá,
e ali habitarão
e hão de possuí-la.
Sl 69:36 Também a descendência dos seus servos
a herdará,
e os que lhe amam o nome
nela habitarão.
Aqui já no final do salmo, aquela palavra de esperança aos que buscam o Senhor para que os seus corações revivam uma vez que o Senhor responde aos necessitados e não despreza os seus prisioneiros. Assim, neste meu momento particular de luta, eu tenho certeza de que Deus me ouve e me responde.

Eu não irei clamar para Deus falar comigo, não! Eu irei clamar para Deus abrir meus ouvidos para ouvir a sua voz que já está falando e me instruindo em tudo. Dá-nos ouvidos, Senhor, para ouvirmos a sua voz em meio aos vozes das tempestades que nos querem sufocar.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.