segunda-feira, 25 de março de 2013

Sl 67.1-7 - AS NAÇÕES RENDEM GRAÇAS

Diz o salmista, logo no início de seu salmo em forma de súplica, para Deus ser gracioso conosco para sempre fazendo assim resplandecer o seu rosto sobre nós para conhecermos na terra o seu caminho e em todas as nações, a salvação de Deus.
O salmista pede a Deus algo que ele já é? Por quê? Certamente, que não é para lembrar a Deus de ser gracioso, mas para lembrar a si mesmo que deve gratidão ao Deus da graça em todo tempo. Um pecado gravíssimo que cometemos todos os dias é não termos nossos corações gratos a Deus em todo tempo.
Lamentamos e reclamamos de tudo e pior, colocamos a culpa pelas nossas desventuras em Deus como se Deus tivesse culpa pelos nossos problemas que enfrentamos. Do que se queixa o homem, diz a Escritura em Lamentações de Jeremias:
Há tanto o que agradecer que devíamos nos envergonhar de não termos corações agradecidos diante de Deus que tudo nos fornece.
Em seguida, conclama a todos os povos para louvarem a Deus, para se alegrarem nele e se exultarem por que Deus julga com justiça na terra e ela não está abandonada ou entregue a deus estranho.
Diz o comentário de Calvino, em sua introdução, tratar-se este salmo de uma oração clamando a bênção sobre a igreja, que além de ser preservada em segurança na Judéia, pode ser ampliada para uma nova extensão sem precedentes. O salmo fala do reino de Deus que deve ser erguido mundo na vinda de Cristo.
O seguinte salmo contém uma oração por uma benção na Igreja, que, além de ser preservada em um estado de segurança na Judéia, pode ser ampliada para uma nova e sem precedentes. Ele toca logo o reino de Deus, que deveria ser erguido no mundo na vinda de Cristo.
Para o músico chefe em Neginoth. Um salmo ou uma música. Salmo 67 Ao Músico Chefe em Neginoth. Um Salmo [ou] Canção.
Sl 67:1 Seja Deus
gracioso para conosco,
e nos abençoe,
e faça resplandecer sobre nós o rosto; 
Sl 67:2 para que se conheça na terra o teu caminho
e, em todas as nações, a tua salvação. 
Sl 67:3 Louvem-te os povos,
ó Deus;
louvem-te
os povos todos. 
Sl 67:4 Alegrem-se e exultem as gentes,
pois julgas os povos com equidade
e guias na terra as nações. 
Sl 67:5 Louvem-te os povos,
ó Deus;
louvem-te os povos todos. 
Sl 67:6 A terra deu o seu fruto,
e Deus,
o nosso Deus,
nos abençoa. 
Sl 67:7 Abençoe-nos Deus,
e todos os confins da terra
o temerão.

Que maravilha que todos os confins da terra estejam temendo a Deus pelas bênçãos derramadas. Quando será que viveremos dessa forma com a terra produzindo o seu fruto e Deus nos abençoando ainda mais do que já nos abençoa uma vez que serão exterminados os ímpios da face da terra? Maranata!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.