sábado, 9 de março de 2013

Salmo 51: 1-19 - CONFISSÃO E ARREPENDIMENTO


Famoso salmo de Davi que foi criado por causa de seu pecado com Urias e Bete-Sabá. Ele foi escrito depois que Natã o confrontou e contando uma pequena parábola despertou no seu rei a cólera contra quem tinha pecado tão gravemente na parábola de um rei que querendo agradar seu convidado não tomou de suas ovelhas para lhe oferecer um banquete, mas do camponês que tinha uma única ovelha. Assim, a si mesmo atribui o veredito e, então, caindo em si viu que Natã falava dele mesmo e que aquele homem maligno que acabara de julgar e condenar à morte era ele mesmo.
Outros homens também pecaram gravemente na história e uns foram perdoados e outros poderiam ter sido perdoados, mas seu coração endurecido os levou ao remorso e não ao arrependimento. Exemplos: Pedro, que também se arrependeu e Judas, que sendo do maligno, não se arrependeu.
Davi se arrependeu e Deus o perdoou! Isso é tremendo, não o fato de podermos pecar para obter o arrependimento, mas o fato de Deus, apesar de nós, nos oferecer o perdão gratuitamente. Eu não vivo na garantia de que pecando terei oportunidades de arrependimento. Quem vive assim dessa forma jamais conheceu a Deus e não é dele, antes do maligno, como Judas foi.
Em Cristo Jesus, Deus nos perdoou de nossos pecados e nos deu vida nova nos aceitando agora como filhos dele. O perdão é certo para nós pecadores e a regra do obter é dar. Por isso que está escrito: ... perdoais as nossas ofensas, como temos perdoado aos nossos ofensores...
É tão bom sabermos que temos Deus que nos ama apesar de nós e que nos perdoa em Cristo Jesus. Davi conhecia seu Deus e sua oração é um presente para nós em aprendizado de relacionamento com Deus. Davi, todavia, não foi poupado das consequências de seus atos tresloucados, antes sofreu demasiadamente.
Se na hora da transgressão lhe fosse mostrado o preço a pagar, jamais, quero crer, o autor deste Salmo 51, Davi, teria se enveredado por este caminho reprovado por Deus. Quer um conselho sobre esta situação que você está vivendo? Cai fora urgentemente, antes que sejas devorado(a).
No comentário de Calvino, na sua introdução, ele comenta e situa este salmo na vida de Davi:
Aprendemos a causa que levou à composição deste salmo por causa do título anexado a ele, e que imediatamente será submetido a nossa consideração. Durante um longo período depois de sua melancólica queda, Davi parece ter mergulhado em uma letargia espiritual; mas, quando despertou com a exposição de Nathan, ele estava cheio de auto-aversão e humilhação aos olhos de Deus, e estava ansioso para testemunhar o arrependimento dele ao redor dele e deixar alguma prova duradoura para a posteridade. No começo do salmo, tendo os olhos direcionados para o atormentado de sua culpa, ele se encoraja a desejar o perdão, considerando a infinita misericórdia de Deus. Isso ele exalta em termos elevados, e com uma variedade de expressões, como alguém que sentiu que ele merecia multiplicar a condenação. Na parte posterior do salmo, ele ora pela restauração do favor de Deus, consciente de que ele mereceu ser expulso para sempre e privado de todos os dons do Espírito Santo. Ele promete, se o perdão fosse concedido a ele, manter-se em profundidade de gratidão. Para a conclusão, ele declara que é para o bem da Igreja que Deus deve conceder seu pedido; e, de fato, quando a maneira peculiar em que Deus depositou sua aliança de graça com Davi é considerada, não pode deixar de ser sentida que a esperança comum da salvação de todos deve ter sido abalada na suposição de sua rejeição final.
Para o principal músico. Um salmo de Davi, quando o profeta Natã veio até ele, depois de ter adulterado com Bate-Seba.
Quando Nathan, o profeta, chegou a ele, expressa-se claramente que o profeta tenha vindo antes de o salmo ter sido escrito, provando, como faz, a profunda letargia em que Davi deve ter caído. Foi uma circunstância maravilhosa que um homem tão grande, e um tão eminentemente dotado com o Espírito, deveria ter continuado nesse estado perigoso por mais de um ano. Nada além de influência satânica pode explicar esse estupor de consciência que poderia levá-lo a desprezar ou a diminuir o julgamento divino que ele havia incorrido. Ele serve, além disso, para marcar a momento em que ele havia caído, que ele parece não ter compungido seu pecado até que o profeta veio até ele. Temos aqui uma ilustração impressionante, ao mesmo tempo, da misericórdia de Deus ao enviar o profeta para recuperá-lo quando ele vagou. Nesta visão, há uma antítese na repetição da palavra veio. Foi quando Davi pecou com Bate-Seba que Nathan veio até ele. Por esse passo pecaminoso, ele se colocou a uma distância de Deus; e o Divino Deus foi exibido de forma significativa ao contemplar sua restauração. Não imaginamos que Davi, durante este intervalo, ficou tão privado do sentido da religião como não mais reconhecer a supremacia do Ser Divino. Com toda a probabilidade, ele continuou a orar diariamente, envolvido nos atos de adoração divina e visando conformar sua vida com a lei de Deus. Não há razão para pensar que a graça estava completamente extinta em seu coração; mas apenas que ele era possuído por um espírito de negligência em um ponto particular, e trabalhou sob uma insensibilidade fatal quanto à sua exposição presente à ira divina. A graça, ou o que quer que seja que ele possa emitir em outras direções, foi sufocada, por assim dizer, nisso. Bem, possamos tremer para contemplar o fato de que um profeta tão sagrado, e um rei tão excelente, deveria ter se afundado em tal condição! Que a sensação de religião não estava totalmente extinta em sua mente, é provada pela maneira como ele foi afetado imediatamente após receber a repreensão do profeta. Tal foi o caso, ele não poderia ter gritado como ele, "eu pequei contra o Senhor" (2 Samuel 12:13), nem ele se teria submetido tão facilmente, no espírito da mansidão, à admoestação e correção. A este respeito, ele deu um exemplo a todos, como pode ter pecado contra Deus, ensinando-lhes o dever de cumprir humildemente os apelos ao arrependimento, que podem ser dirigidos a eles por seus servos, em vez de permanecerem sob o pecado até que sejam surpreendido pela vingança final do Céu.
Sl 51:1 Compadece-te de mim, ó Deus,
segundo a tua benignidade;
e, segundo a multidão das tuas misericórdias,
apaga as minhas transgressões.
Sl 51:2 Lava-me completamente da minha iniquidade
e purifica-me do meu pecado.
Sl 51:3 Pois eu conheço as minhas transgressões,
e o meu pecado está sempre diante de mim.
Sl 51:4 Pequei contra ti,
contra ti somente,
e fiz o que é mau perante os teus olhos,
de maneira que serás tido por justo no teu falar
e puro no teu julgar.
Sl 51:5 Eu nasci na iniquidade,
e em pecado me concebeu minha mãe.
Sl 51:6 Eis que te comprazes na verdade no íntimo
e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria.
Sl 51:7 Purifica-me com hissopo,
e ficarei limpo;
lava-me,
e ficarei mais alvo que a neve.
Sl 51:8 Faze-me ouvir júbilo e alegria,
para que exultem os ossos que esmagaste.
Sl 51:9 Esconde o rosto dos meus pecados
e apaga todas as minhas iniqüidades.
Sl 51:10 Cria em mim, ó Deus,
um coração puro
e renova dentro de mim
um espírito inabalável.
Sl 51:11 Não me repulses da tua presença,
nem me retires o teu Santo Espírito.
Sl 51:12 Restitui-me a alegria da tua salvação
e sustenta-me com um espírito voluntário.
Sl 51:13 Então,
ensinarei aos transgressores
os teus caminhos,
e os pecadores
se converterão a ti.
Sl 51:14 Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus,
Deus da minha salvação,
e a minha língua
exaltará a tua justiça.
Sl 51:15 Abre, Senhor,
os meus lábios,
e a minha boca manifestará os teus louvores.
Sl 51:16 Pois não te comprazes em sacrifícios;
do contrário, eu tos daria;
e não te agradas de holocaustos.
Sl 51:17 Sacrifícios agradáveis a Deus
são o espírito quebrantado;
coração compungido e contrito,
não o desprezarás, ó Deus.
Sl 51:18 Faze bem a Sião,
segundo a tua boa vontade;
edifica os muros de Jerusalém.
Sl 51:19 Então, te agradarás
dos sacrifícios de justiça,
dos holocaustos
e das ofertas queimadas;
e sobre o teu altar
se oferecerão novilhos.
O salmo é lindo e uma grande lição no nosso relacionamento com Deus que todas as coisas vê. Ele está certo de que Deus não aceitará sacrifícios nem ofertas nem holocaustos tendo um coração contrário e rebelde. O que agrada a Deus é: espírito quebrantado, coração compungido e contrito. 
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

...


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.