segunda-feira, 4 de março de 2013

Salmo 46: 1-11 - DEUS É NOSSO REFÚGIO E FORTALEZA

Um salmo de vitória! Já começa dizendo quem é o nosso refúgio e nossa fortaleza nas principais horas de nossas tribulações que às vezes temos de passar. Ninguém escolhe certas circunstâncias a enfrentar em sua vida. Não há como dizer a elas: volte outro dia, ou, está amarrado em Nome de Jesus, ou está repreendido!
É exatamente nestas horas difíceis que ali está a promessa de vitória de nosso Deus que muitas das vezes não é aquilo que desejaríamos, mas que aconteceu, sendo ele soberano sobre todas as coisas. A palavra de vitória não é a do livramento da circunstância, mas ele ser o nosso refúgio e a nossa fortaleza nessas horas.
Aqueles jovens que foram jogados na fornalha acesa sete vezes mais para exatamente ser o fim deles disse a Nabucodonosor que se Deus os quisesse livrar, os livraria, mas se não, que eles não iriam adorá-lo, nem se curvarem diante da estátua erguida. Deus, ali, os livrou, mas nem sempre é assim, pois muitos testemunhos sobre Deus e Cristo foram escritos em sangue.
A circunstância que foi pano de fundo deste salmo, conforme Calvino, é o momento em que Jerusalém se vê cercada pelo exército de Senaqueribe e as esperanças do povo desaparecem por que o fim parecia iminente e certo. Deus aqui, novamente os livrou de fato.
Eu aprendo no Salmo 46, de Corá, que o fim das coisas não é o fim das aparências e do que a circunstância sugere, embora toda a lógica, matemática, probabilidades e prognósticos apoiem, mas é aquilo que Deus quer que seja! Deus é soberano!
Vejamos o comentário de Calvino, somente a introdução:
Este salmo parece ser mais uma expressão de ação de graça por  uma libertação particular, do que um pedido de ajuda constante a Deus que sempre protegeu e preservou sua Igreja. Pode deduzir-se disso por causa da cidade de Jerusalém. Quando atingida com grande terror e colocada em perigo extremo, foi preservada, ao contrário de toda expectativa, pelo poder inesperado e milagroso de Deus. O profeta, portanto, ou quem compôs o salmo, elogiando uma libertação tão singularmente justificada por Deus, exorta os fiéis a se comprometer com confiança à sua proteção e a não duvidar disso, a confiar sem medo nele como seu guardião e o protetor de seu bem-estar, pois eles devem ser preservados continuamente em segurança de todos os assaltos de seus inimigos, porque é seu escritório peculiar para apagar todas as agitações.
Ao músico-chefe dos filhos de Coré, uma canção sobre Alamoth.
Os intérpretes não concordam quanto ao significado da palavra lmvt, alamoth; mas sem perceber todas as opiniões diferentes, devo mencionar apenas duas delas, ou seja, que seja um instrumento de música, ou seja, o início de uma música comum e conhecida. A última conjectura me parece o mais provável. Quanto ao momento em que este salmo foi escrito, também é incerto, a menos que, talvez, possamos supor que foi escrito quando o cerco da cidade subiu de repente pela destruição terrível e dolorida que Deus trouxe ao exército de Senaqueribe (2 Reis 19:35.) Esta opinião admito prontamente, porque é o que mais se parece com toda a extensão do salmo. É abundantemente manifesto que algum favor de Deus, que merece ser lembrado, tal como foi, é aqui elogiado.
Sl 46:1 Deus
é o nosso refúgio e fortaleza,
socorro bem presente nas tribulações.
Sl 46:2 Portanto,
não temeremos
ainda que a terra se transtorne
e os montes se abalem no seio dos mares;
Sl 46:3 ainda que as águas tumultuem
e espumejem e na sua fúria
os montes se estremeçam.
Sl 46:4 Há um rio,
cujas correntes alegram a cidade de Deus,
o santuário das moradas do Altíssimo.
Sl 46:5 Deus está no meio dela;
jamais será abalada;
Deus a ajudará desde antemanhã.
Sl 46:6 Bramam nações,
reinos se abalam;
ele faz ouvir a sua voz,
e a terra se dissolve.
Sl 46:7 O SENHOR dos Exércitos
está conosco;
o Deus de Jacó
é o nosso refúgio.
Sl 46:8 Vinde, contemplai as obras do SENHOR,
que assolações efetuou na terra.
Sl 46:9 Ele põe termo à guerra
até aos confins do mundo,
quebra o arco e despedaça a lança;
queima os carros no fogo.
Sl 46:10 Aquietai-vos
e sabei que eu sou Deus;
sou exaltado entre as nações,
sou exaltado na terra.
Sl 46:11 O SENHOR dos Exércitos
está conosco;
o Deus de Jacó
é o nosso refúgio.
Este salmista conhecia seu Deus como Deus imanente, que administra, que atua, que está conosco, o Deus Emanuel. Ao nos pedir para aquietarmos significa que devemos confiar em Deus que não nos tem esquecido e logo, logo, estará se revelando a nós. Por isso, encerra com uma palavra de força e de esperança: Deus está conosco! Deus é nosso refúgio!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.