domingo, 24 de fevereiro de 2013

Salmo 38: 1-11 - ARREPENDIMENTO DO PECADOR

Outro belo salmo de Davi em que sua queixa é bem forte e sua angústia aumentada por causa das aflições e perseguições de seu coração tanto internamente, por causa de seus pecados, quanto externamente, por causa dos seus inimigos.
Como ele mesmo diz, ele está sendo perseguido pelo seu próprio Senhor, mas ao invés de endurecer o seu coração como é bem o nosso costume quanto somos advertidos e censurados pelo amor de nosso Deus, Davi se derrete diante de Deus como a cera diante do sol.
O Senhor que é rico em misericórdia e graça, recebe seus lamentos e queixas em forma de salmo que é cantado e orado no mais profundo de seu coração. 
Calvino na sua introdução sobre este salmo vai falar disso.
Davi, sofrendo sob uma doença severa e perigosa, como pode ser conjeturado, reconhece que ele é castigado pelo Senhor, e pede que ele afaste sua raiva dele. Para que, de forma mais eficaz, induza a Deus a ter piedade dele, ele lamenta diante dele a severidade de suas aflições em uma variedade de detalhes. Estes devemos considerar separadamente, e em ordem.
Um salmo de David para lembrar. [48]
O título deste salmo refere-se ao seu assunto. Alguns supõem que é o início de uma música comum, porque em outros salmos o início da música, para a sintonia de que foram configurados, é geralmente prefixado: mas essa interpretação é antinatural e sem fundamento. Em vez disso, eu prefiro pensar que o título indica que Davi compôs este salmo como um memorial para si próprio, assim como para outros, para que ele não devesse esquecer o castigo pelo qual Deus o afligiu. Ele sabia com que facilidade e rapidez os castigos com que Deus nos visita, e que deveriam servir como meio de instrução para nós toda a nossa vida, escapam da nossa mente. Ele também estava atento a sua alta chamada; pois, como ele era nomeado mestre e professor sobre toda a Igreja, era necessário que o que quer que ele próprio aprendesse em particular, pelo ensino divino, deveria ser conhecido e apropriado ao uso de todos, para que todos pudessem lucrar com isso. Assim, somos admoestados de que é um exercício muito lucrativo, muitas vezes, recordar a lembrança dos castigos com os quais Deus nos afligiu pelos nossos pecados.
Sl 38:1 Não me repreendas,
SENHOR, na tua ira,
nem me castigues
no teu furor.
Sl 38:2 Cravam-se em mim as tuas setas,
e a tua mão recai sobre mim. Sl 38:3
Não há parte sã na minha carne,
por causa da tua indignação;
não há saúde nos meus ossos,
por causa do meu pecado.
Sl 38:4 Pois já se elevam acima de minha cabeça as minhas iniqüidades;
como fardos pesados,
excedem as minhas forças.
Sl 38:5 Tornam-se infectas e purulentas as minhas chagas,
por causa da minha loucura.
Sl 38:6 Sinto-me encurvado
e sobremodo abatido,
ando de luto o dia todo.
Sl 38:7 Ardem-me os lombos,
e não há parte sã na minha carne.
Sl 38:8 Estou aflito e mui quebrantado;
dou gemidos por efeito do desassossego do meu coração.
Sl 38:9 Na tua presença,
Senhor,
estão os meus desejos todos,
e a minha ansiedade não te é oculta.
Sl 38:10 Bate-me excitado o coração,
faltam-me as forças,
e a luz dos meus olhos,
essa mesma já não está comigo.
Sl 38:11 Os meus amigos e companheiros
afastam-se da minha praga,
e os meus parentes ficam de longe.
Sl 38:12 Armam ciladas contra mim
os que tramam tirar-me a vida;
os que me procuram fazer o mal
dizem coisas perniciosas
e imaginam engano todo o dia.
Sl 38:13 Mas eu,
como surdo,
não ouço
e, qual mudo,
não abro a boca.
Sl 38:14 Sou, com efeito,
como quem não ouve
e em cujos lábios não há réplica.
Sl 38:15 Pois em ti, SENHOR, espero;
tu me atenderás, Senhor, Deus meu.
Sl 38:16 Porque eu dizia:
Não suceda que se alegrem de mim
e contra mim se engrandeçam quando me resvala o pé.
Sl 38:17 Pois estou prestes a tropeçar;
a minha dor está sempre perante mim.
Sl 38:18 Confesso a minha iniquidade;
suporto tristeza por causa do meu pecado.
Sl 38:19 Mas os meus inimigos
são vigorosos e fortes,
e são muitos os que sem causa me odeiam.
Sl 38:20 Da mesma sorte,
os que pagam o mal
pelo bem são meus adversários,
porque eu sigo o que é bom.
Sl 38:21 Não me desampares,
SENHOR;
Deus meu,
não te ausentes de mim.
Sl 38:22 Apressa-te em socorrer-me,
Senhor,
salvação minha.
Quando meditamos neste salmo, podemos pensar a princípio que somente há lamentos e queixas e dores e um pedido de misericórdia final feito juntamente com um misto de esperança que não se sabe nem o quê nem o porquê de tais coisas. No entanto, não é assim. Temos aqui um homem segundo o coração de Deus que sabia o que fazia e por que fazia.

Seu pedido ao Senhor de socorro, de pressa e para não desampará-lo reflete na sua alma o tamanho e a dificuldade que ele estava passando. Davi sabia, era um homem de fé, que Deus estava no controle de tudo.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.