segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Salmo 32: 1-11 - A BEM-AVENTURANÇA DE QUEM RECEBE O PERDÃO

Davi usado pelo Espírito Santo fala com aqueles cujas iniquidades são perdoadas e os pecados cobertos. Sim, uma dádiva de Deus não merecida nem obtida por qualquer tipo de esforço ou parceria com Deus. Ele, em Cristo, nos perdoou de nossos pecados e agora livres dele, não somos mais escravos do pecado para fazermos a vontade da carne.
Deus nos perdoou! Com certeza, em Cristo o perdão é garantido, mas ainda há uma condição para continuarmos recebendo seu perdão é também perdoarmos os nossos irmãos. Se eu não perdoo meu irmão, tão pouco Deus me perdoará. Então o segredo para eu saber se fui alcançado por essa graça e perdão é o fato de meu coração estar inclinado ao perdão.
Os escritores do Novo Testamento vão também falar dessa bem-aventurança de termos nossos pecados perdoados. Reparem na fala de Paulo aos Romanos, falando dessa dádiva:
Romanos 4:6 E é assim também que Davi declara ser bem-aventurado o homem a quem Deus atribui justiça, independentemente de obras:
Romanos 4:7 Bem-aventurados aqueles cujas iniqüidades são perdoadas, e cujos pecados são cobertos;
Romanos 4:8 bem-aventurado o homem a quem o Senhor jamais imputará pecado.
Este é o salmo falado e citado por Paulo sobre os nossos pecados perdoados e cobertos em Cristo Jesus. Assim como é impossível eu praticar a justiça e “não pecar”, quero dizer eu não posso praticar algo contra a minha natureza pecadora; assim, Deus me perdoa sempre, independente de minhas obras. No entanto, o seu perdão não significa salvo-conduto para pecar, antes para andar na justiça, sendo justo como ele é.
Vejamos Calvino falando em seu comentário, na sua introdução sobre este salmo:
David experimentou, em grande parte e dolorosamente, o que é sentir a mão de Deus pesada por causa do pecado. Ele exclama que a maior e a melhor parte de uma vida feliz consiste nisso, que Deus perdoa a culpa de um homem e o recebe graciosamente. Depois de agradecer o perdão obtido, ele convida outros a ter comunhão com ele em sua felicidade, mostrando, por meio de seu próprio exemplo, os meios pelos quais isso pode ser obtido.
Um salmo de David dando instruções.
O título deste salmo dá uma idéia do seu assunto. Alguns pensam que a palavra hebraica mskyl, maskil, que nós renderizamos dando instruções, é tirada do versículo 7, mas é mais preciso considerá-lo como um título dado ao salmo de acordo com todo o seu alcance e assunto. Davi, depois de durar longos e terríveis tormentos, quando Deus o provou severamente, mostrando-lhe os sinais da sua ira, tendo finalmente obtido o favor, aplica essa evidência do Deus divino para seu próprio benefício e o benefício de toda a Igreja, para que dele ensine a si mesmo e a eles o que constitui o principal ponto de salvação. Todos os homens devem necessariamente estar em um tormento miserável, ou, o que é pior, esquecendo-se a si mesmos e a Deus, devem continuar em letargia mortal, até que sejam persuadidos de que Deus se reconcilie com eles. Por isso Davi, ensina-nos que a felicidade dos homens consiste apenas no perdão dos pecados, pois nada pode ser mais terrível do que ter Deus como o nosso inimigo; nem ele pode ser gracioso conosco de outra maneira do que perdoando nossas transgressões.
Sl 32:1 Bem-aventurado
aquele cuja iniquidade é perdoada,
cujo pecado é coberto.
Sl 32:2 Bem-aventurado
o homem a quem o SENHOR não atribui iniquidade
e em cujo espírito não há dolo.
Sl 32:3 Enquanto calei os meus pecados,
envelheceram os meus ossos
pelos meus constantes gemidos todo o dia.
Sl 32:4 Porque a tua mão
pesava dia e noite sobre mim,
e o meu vigor
se tornou em sequidão de estio.
Sl 32:5 Confessei-te o meu pecado
e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse:
confessarei ao SENHOR as minhas transgressões;
e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado.
Sl 32:6 Sendo assim,
todo homem piedoso
te fará súplicas
em tempo de poder encontrar-te.
Com efeito,
quando transbordarem muitas águas,
não o atingirão.
Sl 32:7 Tu és o meu esconderijo;
tu me preservas da tribulação
e me cercas de alegres cantos de livramento.
Sl 32:8 Instruir-te-ei
e te ensinarei o caminho que deves seguir;
e, sob as minhas vistas,
te darei conselho.
Sl 32:9 Não sejais
como o cavalo ou a mula,
sem entendimento,
os quais com freios e cabrestos são dominados;
de outra sorte não te obedecem.
Sl 32:10 Muito sofrimento terá de curtir o ímpio,
mas o que confia no SENHOR,
a misericórdia o assistirá.
Sl 32:11 Alegrai-vos no SENHOR
e regozijai-vos, ó justos;
exultai,
vós todos que sois retos de coração.

Reparem no verso 8, o que o Espírito Santo nos garante! É por isso e muito mais que Davi exorta ao final para confiarmos no Senhor certos de que a misericórdia nos alcançará. Ele nos pede que andemos em alegria e regozijo exultando diante do Senhor que nos tem amado tão grandemente.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – 
http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.