sábado, 16 de fevereiro de 2013

Salmo 30: 1-12 - AÇÕES DE GRAÇA PELA LIBERTAÇÃO DA MORTE

Mais um salmo de Davi e mais lamentos, mais perseguições, mais orações e mais confiança de Deus em sua vida. Foi aqui Davi livrado da morte, da cova e da sepultura. Assim foi também com o Messias que teve de passar pela aflição maior dos viventes, a morte.
No entanto, ela não o pode detê-lo em suas prisões eternas, mas teve de ceder e recuar e devolvê-lo à vida plena que ele tinha. Jesus morreu pelos nossos pecados e agora se tornou o justificador de todos nós que andamos na terra dos viventes.
Foi da cova que Deus o fez subir estando lá já por três dias e sendo a sua morte testemunhada por muitos. Na sepultura não ficou a sua cama. Ele explica que a sua ira é necessária, mas logo passa. Nem se compara com sua misericórdia, muito mais ativa e prolongada. A sua ira é necessária devido à sua justiça, mas mesmo a sua ira é tão santa quanto é o seu amor e a sua justiça.
Se Deus tornasse justo o homem injusto, isso não seria justiça, mas injustiça e quebra de valores eternos que somente a Deus pertence. Ele não nos tornou justos, mas por meio de Cristo, nos justificou. Foi Cristo nosso substituto que assumiu a nossa conta de nossos pecados satisfazendo plenamente a justiça de Deus. Assim, ele é o nosso justificador.
Comentário de Calvino, apenas a sua introdução:
Davi tendo sido libertado de um grande perigo, em primeiro lugar, não só agradece a Deus por ele mesmo, mas ao mesmo tempo convida e exorta todos os piedosos a cumprirem o mesmo dever. Em segundo, ele então confessa que ele tinha se lisonjeado com muita confiança em sua prosperidade, e que sua segurança foi justamente castigada. Em terceiro lugar, finalmente, tendo expressado brevemente a sua tristeza, volta novamente para a ação de graças.
Um salmo cantado na dedicação da casa de Davi.
Sl 30:1 Eu te exaltarei,
ó SENHOR,
porque tu me livraste
e não permitiste
que os meus inimigos se regozijassem contra mim.
Sl 30:2 SENHOR,
meu Deus,
clamei a ti por socorro,
e tu me saraste.
Sl 30:3 SENHOR,
da cova
fizeste subir a minha alma;
preservaste-me a vida
para que não descesse à sepultura.
Sl 30:4 Salmodiai ao SENHOR,
vós que sois seus santos,
e dai graças
ao seu santo nome.
Sl 30:5 Porque não passa de um momento a sua ira;
o seu favor dura a vida inteira.
Ao anoitecer,
pode vir o choro,
mas a alegria
vem pela manhã.
Sl 30:6 Quanto a mim,
dizia eu na minha prosperidade:
jamais serei abalado.
Sl 30:7 Tu, SENHOR,
por teu favor
fizeste permanecer forte a minha montanha;
apenas voltaste o rosto,
fiquei logo conturbado.
Sl 30:8 Por ti, SENHOR,
clamei, ao Senhor implorei.
Sl 30:9 Que proveito
obterás no meu sangue,
quando baixo à cova?
Louvar-te-á, porventura, o pó?
Declarará ele a tua verdade?
Sl 30:10 Ouve, SENHOR,
e tem compaixão de mim;
sê tu, SENHOR,
o meu auxílio.
Sl 30:11 Converteste
o meu pranto em folguedos;
tiraste
o meu pano de saco
e me cingiste de alegria,
Sl 30:12 para que o meu espírito
te cante louvores
e não se cale.
SENHOR,
Deus meu,
graças te darei para sempre.

Pelas bênçãos recebidas, neste salmo, Davi tinha se tornado próspero e a sua confiança deixou de ser no Senhor para ser no que tinha e para o que era. Deus ficou totalmente esquecido. No entanto foi somente por um instante que Deus virou o seu rosto e logo ele ficou conturbado e na sua conturbação buscou ao Senhor que teve compaixão e converteu seu pranto em folguedos, assim, ele agora dá graças a Deus para sempre.
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdetehttp://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.