sábado, 26 de janeiro de 2013

Salmo 9: 1-20 - DAVI APELA À JUSTIÇA

Davi inicia este abençoado salmo falando de louvores e que a Deus se derramaria por reconhecer que ele Deus reina e tem domínio sobre todas as coisas. A Deus todo louvor ou a Deus toda a glória, devia ser a regra geral de Davi diante de qualquer situação.
Ele vive aqui um gozo e regozijo por suas vitórias, mas ele tributa a Deus seus resultados. Ainda que em algo venha a fracassar ou perder, Davi jamais perdia a sua fé firme e invencível.
Vejam o que nos diz as primeiras linhas do Comentário de Calvino sobre este lindo salmo de Davi:
Davi, depois de ter contado as primeiras vitórias que ganhou, e depois de ter sido exaltado em tensões elevadas, agradece, feliz, a graça e o poder de Deus que passa a ser tema de suas reflexões. Agora novamente, quando ele vê novos inimigos e perigos se levantando, ele implora a proteção do mesmo Deus por quem antes havia sido entregue, e suplica que seja derrubado o orgulho de seus inimigos.
Para o músico chefe Almuth Laben. Um salmo de David. Esta inscrição é explicada várias vezes. Alguns o traduzem, após a morte de Laben, e são de opinião que ele era um dos principais capitães dos inimigos de Davi. Outros estão inclinados a pensar que era mais um nome fictício, e que Goliath é a pessoa mencionada neste salmo. Segundo outros, era um instrumento musical. Mas para mim parece ser mais correto, ou, pelo menos, (como estou acostumado a falar quando o assunto é obscuro), uma opinião mais provável, que foi o início de uma música bem conhecida, da melodia de que o salmo foi composto. As disputas de intérpretes sobre o que a vitória de David aqui celebra, a meu ver, são desnecessárias e não servem de bom propósito.
Ao ler este salmo e segmentá-lo notei em Davi um forte clamor e apelo à justiça! Para apelar dessa forma, ou ele buscava a justiça ou estava sendo injustiçado ou via muitas injustiças. Ele conhece o seu Deus o qual é justo e se admira porque não faria justiça a própria justiça?
Davi fala de justiça, de governo, de administração, de reino, de trono, de juiz, em fim, fala de Deus e de sua providência. Deus é o seu Pai e também o justo juiz de toda a terra!
Sl 9:1 Louvar-te-ei, SENHOR,
de todo o meu coração;
contarei
todas as tuas maravilhas.
Sl 9:2 Alegrar-me-ei
e exultarei
em ti;
ao teu nome,
ó Altíssimo,
eu cantarei louvores.
Sl 9:3 Pois, ao retrocederem os meus inimigos,
tropeçam
e somem-se da tua presença;
Sl 9:4 porque sustentas o meu direito
e a minha causa;
no trono te assentas
e julgas retamente.
Sl 9:5 Repreendes as nações,
destróis o ímpio
e para todo o sempre
lhes apagas o nome.
Sl 9:6 Quanto aos inimigos,
estão consumados,
suas ruínas são perpétuas,
arrasaste as suas cidades;
até a sua memória pereceu.
Sl 9:7 Mas o SENHOR
permanece no seu trono eternamente,
trono que erigiu para julgar.
Sl 9:8 Ele mesmo
julga o mundo
com justiça;
administra os povos
com retidão.
Sl 9:9 O SENHOR é também
alto refúgio
para o oprimido,
refúgio
nas horas de tribulação.
Sl 9:10 Em ti,
pois,
confiam
os que conhecem o teu nome,
porque tu,
SENHOR,
não desamparas
os que te buscam.
Sl 9:11 Cantai louvores ao SENHOR,
que habita em Sião;
proclamai entre os povos
os seus feitos.
Sl 9:12 Pois aquele
que requer o sangue
lembra-se deles
e não se esquece
do clamor dos aflitos.
Sl 9:13 Compadece-te de mim,
SENHOR;
vê a que sofrimentos
me reduziram os que me odeiam,
tu que me levantas
das portas da morte;
Sl 9:14 para que,
às portas da filha de Sião,
eu proclame todos os teus louvores
e me regozije da tua salvação.
Sl 9:15 Afundam-se as nações
na cova que fizeram,
no laço que esconderam,
prendeu-se-lhes o pé.
Sl 9:16 Faz-se conhecido
o SENHOR,
pelo juízo que executa;
enlaçado está o ímpio
nas obras de suas próprias mãos.
Sl 9:17 Os perversos
serão lançados no inferno,
e todas as nações
que se esquecem de Deus.
Sl 9:18 Pois o necessitado não será
para sempre esquecido,
e a esperança dos aflitos
não se há de frustrar perpetuamente.
Sl 9:19 Levanta-te,
SENHOR;
não prevaleça o mortal.
Sejam as nações
julgadas na tua presença.
Sl 9:20 Infunde-lhes,
SENHOR,
o medo;
saibam as nações
que não passam de mortais.

Triste será o fim dos que se deixam levar pelo engano e pela mentira e que tiram conclusões absurdas deste mundo imaginando que não há um Deus soberano que tudo governa. Haverá, no entanto, um lugar para abrigar todos esses: o inferno!
A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete 
http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.