terça-feira, 24 de novembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 126/365

Minha LBH: Li até o capítulo 9 de 2 Crônicas e no livro NÃO ERA PARA SER ASSIM – Um resumo da dinâmica e natureza do pecado, de Cornelius Platinga Jr, ed. Cultura Cristã, avancei para a página 46/204 (é um livro mais elaborado, robusto e difícil, por isso o lento progresso).
 
Nesta semana a temática é ação de graças. Em nosso post anterior explicamos um pouco da história desse dia nos EUA e no Brasil. Também falamos da criação do Dia Nacional de Ação de Graças pela Lei 781/1949. São 60 anos de história de Ação de Graças no Brasil.
 
Não há, obviamente, que se falar em ação de graças se não partirmos de alguns pressupostos para nossa reflexão. Por exemplo, se eu não creio que Deus exista, nem que haja um Senhor, porque haveria eu de ter tal atitude de ação de graças? Irei agradecer o quê? e a quem? Logo, para eu agradecer ou ter uma atitude de gratidão em relação a qualquer coisa, eu preciso de um motivo, favor, graça (isso irá responder “o quê?”) e de um autor, doador (isso irá responder “a quem?”).
 
Os meus pressupostos relativamente ao autor ou doador das dádivas são basicamente três:
 
  1. Primeira: Deus existe.
 
2.      Segunda: o Deus que existe nos deixou legado uma Escritura.
 
3.      Terceira: tudo o que preciso saber do Deus que existe nos deixou legado uma Escritura está, óbvio, nas Escrituras.
 
  • Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança.” (Rm 15:4).
  • Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;” (2 Tm 3:16).
  • Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” (2 Pe 1:21)
 
É mediante o estudo e a meditação das Escrituras que eu irei aprender as coisas sobre Deus e sobre o seu Reino e sua Justiça (a criação, a queda do homem, a redenção, a escatologia e tantas outras). Para nossa pequena reflexão do momento, basta sabermos que o Deus que existe e que nos deixou legado a Escritura é:
 
  • o Deus trino (Pai, Filho e Espírito Santo). O Deus pessoa. O Deus soberano, sábio e bom;
  • é aquele que se revela pela natureza e pelas coisas criadas tornando os homens indesculpáveis diante dele.
  • Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;” (Rm 1: 19, 20).
 
Feita essa pequena introdução sobre o autor e doador de todas as dádivas, poderemos refletir agora sobre a própria dádiva: quais? O que é dádiva? Mas, isso vai ficar para amanhã. Deus abençoe a todos nós. A Deus toda a glória. Amém.
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.