sábado, 14 de novembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 116/365

Minha LBH: 2 Crônicas 8:40. Existe, de fato, alguma diferença entre a fé que temos e a que vem pelo nome de Jesus? A fé que eu tenho nem é minha, pois a recebi de Deus. Se não fosse ele me dar a fé, como eu poderia tê-la gerado em ou de mim mesmo? A palavra de Deus nos diz: que a fé vem pelo ouvir a palavra de Deus (Rm 10:17); - que ela é o firme fundamento das coisas que se esperam e a plena convicção das que se não vêem (Hb 11:1); - é dom de Deus (Ef 5:8).

 

Eu recebi a fé! Por meio dela creio em Deus, na sua palavra, nos milagres e em coisas tais como a vida eterna, a santificação, a ressurreição dos mortos e a necessidade de pregarmos o evangelho para que mais pessoas sejam alcançadas e sejam participantes conosco dessa fé. A fé é um presente de Deus que me foi dada gratuitamente. Porque eu e não o Fulano de Tal? Nada havia, nem nunca houve que eu pudesse exibir contra Fulano de Tal para lhe mostrar que mereci receber a fé e ele não.

 

Eu estou muito grato pela minha fé, mas me preocupa o fato do Fulano de Tal não tê-la. Isso me dói a alma. Todo o meu ser suspira e se consome como um fogo que me corrói por dentro querendo me provar, me mostrar, me dizer que o Fulano de Tal pode ser convencido, vencido e conquistado para receber também a fé. Isso, certamente, vem de Deus! O desejo da salvação vem de Deus. O desejo de convencer, de evangelizar o Fulano de Tal vem de Deus. É de Deus! É Deus quem nos move e nos comove.

 

Se você está curioso sobre Deus, se você sente sede de Deus, se você se irrita com a injustiça e está mesmo zangado com Deus por não achar justo algo, é porque Deus já está conquistando você. Tenha paciência e muita calma, pois Deus estará te abençoando. A fé também é para ti, meu irmão. Se não fosse assim, você estaria em outro lugar, sentindo outras coisas. Jesus ama você!

 

O amor que Deus coloca em meu coração pelo Fulano de Tal é legítimo e vem do próprio Deus. Ah, Senhor, quando nos encontraremos face-a-face? Eu te sinto ao meu redor, dentro de mim e até num bija-flor que sem querer (querendo...rs...) entra em minha casa e se perde com o brilho da luz da sala e insiste em querer sair pelo teto e assim se deixa apanhar... como ele é lindo e frágil... de múltiplas cores nas asas, corpo e cabecinha, delicadeza de suas plumagens, olhos pequeninos e bem pretinhos, bicos tão delicados e compridos, ... Fiquei encantado... eu, Bebel e Gabriel nos tornamos crianças. Não pude deixar de glorificá-lo! Deus é um artista!

 

Comecei a ler o livro de Kris Lundgaard, "O MAL QUE HABITA EM MIM". Fazia tempo que eu queria ler este livro. A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.