segunda-feira, 21 de setembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 62/365

LB de hoje: até Dt 29:29 que nos diz que as coisas encobertas pertencem a Deus e as reveladas a nós e a nossos filhos. Ontem, tivemos uma aula na escola bíblica dominical na “Primeirona”, Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga (http://www.primeiraipt.org.br/), igreja que congrego, junto com minha esposa e filha, de antigo testamento com o nosso querido e jovem pastor. E nessa aula, nos deparamos com a figura ilustre de José. É sobre ele que quero iniciar a meditação deste dia e dos próximos dias também.
 
José aos 17 anos (na flor da idade) foi vendido aos Amalequitas por seus irmãos que tiveram nisso duas intenções, uma desfazer-se de seu irmão, outra, ganharem um dinheirinho. Os Amalequitas também venderam a José e este foi parar na casa de um governador do Egito. José, no entanto, não ficou a lamentar a sua sorte, mas temendo a Deus, resolveu ser o melhor escravo do Egito e começou a ser o melhor já na casa de Potifar.
 
Potifar não teve dúvida, o menino era muito bom em tudo o que fazia e o constituiu o maior, abaixo dele, dentro de sua própria casa. Embora escravo, José já começava a se sentir melhor, mas a sem-vergonha da mulher de Potifar colocou os seus olhos em José, pois era muito formoso, e o cobiçou. Em uma de suas tentativas de seduzi-lo, José fugiu e deixou a sua túnica para traz. A despudorada não teve dúvidas: caluniou-o e contou o fato, a sua versão, a seu marido.
 
José foi enviado ao calabouço... provavelmente aos 17 ou 18 anos e de lá somente foi sair aos 30 anos [pequena pausa: eu me pergunto porque José não foi morto? É que o próprio Potifar não cria na história de sua esposa, por isso poupou-lhe a vida]. O melhor de sua vida numa prisão... espera ai, prisão, não, calabouço! [algumas versões fazem distinção entre um termo e outro, mas, sinceramente, não pesquisei o assunto para saber se José foi colocado em prisão ou em um calabouço e se havia à época distinção entre um e outro, mas o fato é que José foi privado de sua liberdade]. Aquele sonho que ele teve com o padeiro e o copeiro ocorreu quando tinha 28 anos. Na certa, devia ter nascido em seu coração a esperança de sair dali à época daqueles sonhos por causa da exatidão de sua interpretação dos sonhos, mas ainda teve de esperar mais 2 anos. Passou então de 12 para 13 anos no calabouço e lá José colocou na sua cabeça, novamente, que seria o melhor preso de calabouço que poderia haver naquela prisão e isto fez com que achasse graça diante de seus algozes.
 
O chefe da prisão não teve dúvidas e o colocou como o principal no calabouço, pois tudo fazia com excelência e perfeição, isto é, com temor a Deus. José respeitava o poder constituído,  a autoridade sobre ele e a direção de Deus. Não deve ter sido nada fácil, mas José ficou firme e JAMAIS DESISTIU de sua postura de ser o melhor não importasse onde.
 
Sendo fiel no pouco. Sendo o melhor no pouco. Honrando e temendo a Deus no pouco. Não haveria dúvidas, José seria fiel e o melhor no muito e continuaria a honrar e a temer a Deus em qualquer circunstância. Deus honrou a José colocando-o como o maioral no Egito, isso, em terra estrangeira. E você, quer o melhor desta terra estrangeira? Faça como José! Quer o melhor de Deus em sua vida, dê o melhor de sua via a Deus! Você, certamente, não pode mudar o que já foi, mas pode construir o que será. Se Deus ainda está te dando o fôlego de vida, então, hoje mesmo, faça consigo um voto e seja sempre o melhor em tudo o que empreenderes a fazer, fazendo como se para o Senhor o estivesse fazendo.
 
Para subsidiar a sua decisão, segue um versículo bíblico apropriado: “Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá;  para que, em tudo, Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder, para todo o sempre.  Ámem.” (I Pedro 4:11). Irmãos, a Força de Vontade sempre dá um jeito e a Falta de Vontade sempre dá desculpas. 
 
Por fim, quero ainda dizer valorizamos o que fazemos e fazemos aquilo que valorizamos, logo não diga que não tem tempo para meditar em sua palavra e orar a Deus, pois eu não acredito. Nos próximos dias estarei retornando a este assunto até que o mesmo penetre em meu sangue e a vida de José comece a fluir em mim [por favor, poupe-me e não interprete ao “pé-da-língua”]. A Deus toda a glória.
 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.