sábado, 19 de setembro de 2009

365 dias de propósito! Dia 60/365

LB de hoje: DT 24:22. Ser ou não reconhecido. Ter muitos ou poucos admiradores. Estar sendo visitado, quantidade de simpatizantes "seguidores", controle de visitas diárias, números de acessos, quantidade de comentários por algo escrito, produzido intelectualmente é interessante e pode nos ajudar em muitas coisas, mas..., mas..., mas... creio que todas essas coisas não são essenciais.

Eu não posso produzir algo que imagino ser de Deus esperando o reconhecimento porque a minha própria motivação estará maculada pela minha intenção implícita ou não de buscar o reconhecimento. A minha motivação não pode ser isso, mas falar a verdade. Eu quero ser motivado pelo prazer de estar me relacionando com Deus e isso, de alguma forma, espero, possa ajudar aqueles que, como eu, são buscadores do Reino de Deus e de sua Justiça. Se, por um acaso, eu for o único leitor de meus escritos, pelo menos eu terei sido ajudado. Quero sentir o prazer de servir

Quando meus olhos estão postos nos homens, gera-se uma expectativa de correspondência, isto é, eu espero que meu próximo se comporte igual ou melhor que eu, mas somos falhos e facilmente desapontamos as pessoas e somos desapontados. Quando, ao contrário, meus olhos estão postos no Senhor, nada disso acontece: não há cobranças, expectativas, medos, mas um sentimento de paz e tranquilidade.

Este meu propósito pode parecer uma maluquice para qualquer outra pessoa, mas não para mim. No domingo passado foi minha estréia como diácono na Primeira Igreja Presbiteriana de Taguatinga Norte, na Sandu, onde o pastor titular é o reverendo pastor Sabino Cordeiro Dourado, homem de Deus que tem uma boa palavra de Deus para ministrar aos nossos corações. Então, eu estava na porta recepcionando os que chegavam para o culto e tive a oportunidade de olhar no semblante de cada irmão, sorrir, apertar as mãos de alguns, abraçar alguns. Cada um que entrava era diferente um do outro e eu me esforçava por ser o mais simpático possível sem também ser "entrão" demais.

Notei algumas coisas.

-         Todas as pessoas, mesmo aquelas que não tem aquele semblante físico desejável, ficam tão lindas e agradáveis quando sorriem. O sorriso nos rostos das pessoas as modificam tremendamente além de darem brilho e beleza a sua pessoa. O contrário, a falta do sorriso, faz a pessoa se assemelhar a um limão muxo e azedo.

-         Todas as pessoas deixaram seus afazeres, compromissos, negócios, lazeres, futebol na TV, etc... para estarem ali na igreja.

-         Algumas, não estão nem ai para nada do que acontece no culto e se destraem em afazeres,  tarefas, conversas (muita conversa: são tantos os assuntos para se colacarem em ordem na hora do culto), no celular ou ficam vagando atoa esperando oportunidade de fazer algo, menos assistir e ser abençoado no culto.

-         Algumas se envolvem e absorvem cada gota ministrada durante o culto. Não perdem nada e quando acaba o culto, ainda procuram mais bênçãos.

-         Algumas ficam prestando atenção nos outros e se esquecem de que estão ali para prestarem atenção no Senhor.

-         Também senti quando examinava os semblantes dos irmãos que parece existir uma expectativa em cada um do que vai ser o culto, sua liturgia e ministrações e que aquilo que na igreja se está fazendo é como uma obrigação a ser paga à divindade para poder desfrutar das bênção durante a semana. Assim, entendem alguns que devem se sacrificar e quando, no final, é ministrada a benção apostólica, sente-se aquela sensação de que o sacrifício foi aceito. Se essa é a motivação de se estar no culto, sinto muito, estamos errados e a bênção do Senhor não nos alcançará, pelo contrário, corremos sérios riscos por estarmos irreverentes na presença do Senhor.

Devemos estar alegres na presença do Senhor e oferecer a ele o nosso culto racional. Devemos adorá-lo em espírito e em verdade. É natural que seremos abençoados (é lógico, mais que óbvio, pois Deus é galardoador!), mas a benção jamais pode ser a nossa motivação e sim oferecer ao Senhor o nosso melhor, naquele lugar. O papel do sacerdote, na igreja, tem de ser revisto para não atender as expectativas, mas para servir ao Senhor e, então, nossos cultos serão uma bênção e cheios de bênçãos. Assim, também espero que sejam meus escritos: eu quero ofertá-los ao Senhor independentes das bênçãos. A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.