quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

TEMA: Criação, Queda, Redenção e Consumação! - 98 - Faltam 471 dias para 26/04/13 e 882 dias para a Copa

Em continuação a história de Salomão, homem que não pediu a sabedoria como um fim em si mesmo, ou seja, para ser conhecido como sábio. O seu foco era o povo de Deus e não a sabedoria, vejamos mais alguns detalhes:

Continuação de ontem:

  1. A escolha de Salomão como rei de Israel – Adonias, o irmão mais velho que estava vivo, tentou reinvindicar para si o reinado de Israel, mas Davi que estava quase morrendo foi convencido por Bate-Seba e o profeta Natã a consagrarem Salomão como rei (I Reis 1:5-40). A sua coroação aconteceu sem pompa, sem planejamento, mas firmou-se e durou 40 anos.

1°.  A primeira aparição de Deus a Salomão

 A oferta de Deus: "Pede-me o que queres que eu te dê"

 

§         Ocorreu em Gibeão: "temeu muito; porque Gibeão era cidade grande como uma das cidades reais e ainda maior do que Ai, e todos os seus homens eram valentes." (Js 10:2). Foram os Gibeonitas que enganaram a Israel e com eles fizeram acordo sem consultarem ao Senhor (Js 9:3-7).

A cidade de Gibeão situa-se num morro de cerca de 60m acima das planícies circunvizinhas e próxima de Jerusalém, uns 9,5 Km. Era habitada pelos Heveus que era uma das 7 nações cananéias destinadas à destruição. (Dt 7:1, 2). Essa cidade ainda pertenceu ao território de Benjamim a qual foi designada aos sacerdotes araônicos (Js 18:25).

§         Ocorreu de noite – a hora é escolhida por Deus no momento que ele deseja.

§         Ocorreu em sonhos – poderia ser de outra forma, mas o Senhor preferiu falar-lhe em sonhos. Certamente que Salomão deveria estar angustiado e pesaroso, pois estava no início de seu reinado e ardia em seu coração o desejo de servir a Deus e ao povo de Deus.

2°.  A resposta de Salomão

  • Reconhecimento da benevolência de Deus para com seu pai, Davi
  • Reconhecimento da fidelidade, justiça e retidão de seu pai Davi
  • Reconhecimento de que o Senhor está sendo benevolente para com ele
  • Reconhecimento de que o desafio de reinar é muito grande e que não se sente capaz, sendo ainda muito criança
  • Reconhecimento de que está diante de um povo escolhido, grande, numeroso
  • Reconhecimento de que necessita executar a justiça e o juízo como rei e ai faz o seu pedido, um coração compreensivo:

-         Para julgar o "teu" povo

-         Para prudentemente discernir entre o bem e o mal

Obs.: Salomão não pediu: sabedoria como um fim em si mesma.

3°.  A resposta de Deus

A sábia resposta de Salomão agradou ao Senhor. Se forçarmos um pouquinho entenderíamos que surpreendeu a Deus (óbvio que não, mas a ênfase é apenas para destacar o quanto ela foi boa). Analisando a resposta divina, vemos que Deus disse que:

  • Salomão não pediu: nem longevidade; nem riqueza; nem a morte de seus inimigos
  • Salomão pediu entendimento para discernir o que é justo (Obs.: repetindo, Salomão não pediu: sabedoria como um fim em si mesma)
  • ... então Salomão receberá:

-         Coração sábio, inteligente e sem igual nem antes nem depois (Deus lhe deu sabedoria!)

-         Riquezas e glórias como nem um outro por todos os dias de sua vida

-         Prolongamento de seus dias (benção condicionada!) se:

Ø       Andar nos caminhos de Deus, como andou Davi

Ø       Guardar os estatutos de Deus, como andou Davi

Ø       Guardar os mandamentos de Deus, como andou Davi.

Amanhã, permitindo Deus iremos concluir. (adaptado do próprio autor: http://www.jamaisdesista.com.br/2010/04/365-dias-de-proposito-dia-271365.html e em seu SCRIBD: http://pt.scribd.com/doc/30094903/Pregacao-Pede-me-o-que-queres-que-eu-te-de-18-04).

A Deus toda glória! p/ Daniel Deusdete – http://www.jamaisdesista.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.