domingo, 27 de fevereiro de 2011

Faltam 789 dias para 26/04/13 (Inicio: 31/07/10).

TEMA: A Oração dos Discípulos 3  em At 4 – At 4:24-37.

Continuando nossa reflexão em Atos:

 

Lembre-se que hoje, agora, na EBD, no culto das 9h, irei pregar esta mensagem e gostaria muito que você estivesse lá para ouvir a palavra de Deus que Deus me confiou para eu anunciar a sua igreja por meio do nome de Jesus Cristo.

 

Como eu já dissera ontem, o livro de Atos não foi finalizado e isso significa que hoje a história da igreja continua sendo realizada por meio de nossas vidas. Aquela oração de Atos de que estamos falando encontra a gente aqui em 2011. Nossa missão é evangelizar todas as nações, falando e testemunhando de Cristo.

 

E como foi que Deus respondeu essas orações feitas unanimemente? Respondeu infinitamente mais do que pediram. Reparem que tudo começou com uma ameaça, uma perseguição, um problema, algo que mexe com nosso dia-a-dia e nos incomoda. Foi a partir desse algo que era a perseguição daqueles judeus invejosos que se lançaram unânimes à oração.

 

Eu estou enfrentando algumas lutas, mas Deus já me falou que elas não visam me aniquilar ou que são retaliações tão terríveis e cruéis do inimigo que é melhor que eu recue e deixe de confrontá-los, não, nada disso. Elas simplesmente visam meu aperfeiçoamento.

 

Quando espremidos colocamos para fora alguns monstros que nem ao menos imaginávamos que carregávamos conosco. O nosso corpo é habitação do Espírito Santo e não vai ficar bem eu querer dividir a casa com Deus e com o diabo. A casa tem de estar limpa, linda e cheirosa. As aflições fazem esse papel e são doloridas.

 

Como irei resolver o problema se ele não parece ter fim ou parece que é tão forte que resiste a exames, a remédios, a tratamentos, a orientações, a conselhos? De que forma orar a Deus para alcançar o livramento e encontrar um refrigério?

 

Algumas dívidas vão crescendo e os juros vão aumentando e o poder de compra diminuindo e nos apertamos ainda mais em dívidas e daqui há pouco nem o dízimo nem as ofertas conseguimos fazer sem ter de pedir emprestado. Só que ao pedir emprestado o monstro aumenta e fica mais gordo, mais pesado e o próximo mês vira um pesadelo.

 

Trabalhamos e trabalhamos, mas os recursos vão sendo minados. Será que temos de trabalhar mais ainda? Cortar bens e serviços? Cortar dízimos e ofertas? Vender bens adquiridos com tanto esforço? Recuarmos no avanço que fazíamos mais em direção ao centro e voltar à periferia? Como resolver tal situação e glorificar a Deus com isso?

 

E na área da saúde? E aquele problema que não aparece nos exames, mas não nos deixa e resiste a tudo que fazemos para aniquilá-lo? Gastamos recursos, tempos, perdemos a paz, fazemos visitas a hospitais na sala de emergência para buscar alívio, mas nada parece resolver. Como nos livrarmos de tais situações que roubam a nossa paz e nos cansam na caminhada e tiram a gente do foco?

 

Eu não tenho todas as respostas, mas Cristo é, certamente, a resposta.... daqui há pouco, irei pregar esta mensagem e espero que você esteja lá para ver a obra do Senhor sendo realizada, pela sua graça, em nossas vidas. Um bom domingo a todos na paz do Senhor.

 

A Deus toda a glória!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Fique à vontade para tecer seus comentários.
No entanto, lembre-se de juntar Cl 3:17 com 1 Co 10:31 :
devemos tudo fazer para a glória de Deus e em nome de Jesus! Deus o abençoe.